Pela primeira vez desde que iniciou a queda dos preços do petróleo nos mercados internacionais, os números mostram claramente os efeitos negativos dessa realidade em Alberta. Na província canadense do petróleo, como é conhecida, perdeu, somente no mês passado, 14.000 postos de trabalho, o que fez avançar a sua taxa de desemprego de 0,8 pontos percentuais, para 5,3%. O indicador permanece, no entanto, abaixo da média nacional de 6,8%.

No país, o desemprego subiu 0,2% e segundo dados do Statistics Canada, o aumento se deu pelo número maior de pessoas em busca de trabalho. Nos últimos 12 meses, a economia canadense tem sido capaz de criar 130.000 postos(0,7%), com maior ímpeto na segunda metade do período.

 

Por Província

Em Quebec o emprego aumentou pelo segundo mês consecutivo, um aumento de 17.000 postos no último mês. No entanto, vale destacar que as estatísticas da agência federal mostram que o aumento foi em empregos a tempo parcial (Part-Time) (considerada por analistas como de qualidade inferior). Nos últimos 12 meses, o emprego em Quebec tem avançado 44.000 postos de trabalho (1,1%), acima da média nacional. A taxa de desemprego, no entanto, manteve-se inalterada em Belle Province (7,4%), maior do que a média canadense, por consequência de um maior número de pessoas à procura de trabalho.

Enquanto isso, em Ontario, o aumento se deu aos trabalhos “Full Time” e um retrocesso aos de tempo parcial. Assim, o mercado de trabalho apresentou pouca variação nesta província canadense. A taxa de desemprego permaneceu em 6,9%. Segundo o que foi registrado nos último 12 meses, o emprego em Ontário subiu apenas 0,6%, o que se traduz em cerca de 39.000 vagas.

Já em Alberta, com as grandes perdas já mencionadas, a província registou a maior taxa de desemprego desde Setembro de 2011. Estas perdas foram principalmente nas áreas de comércio, recursos naturais, serviços profissionais e de manufatura. Vale destacar que, desde setembro de 2014, foram perdidos 20 mil lugares no setor de recursos naturais da província.

Em Nova Scotia, 4.400 postos de trabalho foram perdidos e a taxa de desemprego aumentou 0,7 pontos percentuais, para 9,1%.

Em Newfoundland and Labrador, o número de empregos também caiu em fevereiro. Esta continua a ser a província com a maior taxa de desemprego em todo o Canadá (12,6%).

Em Saskatchewan, a região canadense com a menor taxa de desemprego, também houveram perdas em postos de trabalho e a taxa subiu de 4,5 a 5,0% no mês passado.

Dados da StatsCan mostram que, nas demais províncias as mudanças foram mínimas nos dois primeiros meses de 2015.

 

Por Setor

No Setor de Fabricação (Manufatura) 20.000 empregos foram perdidos em fevereiro, dando, assim, o primeiro declínio desde agosto de 2014. A maioria das perdas nesta categoria foram em Ontário e Alberta.

Na área de Recursos Naturais, foram 17 mil postos. Nos últimos dois meses em todo o país, a perda chega a 26.000 nesta área e a maioria dessas perdas ocorreram em British Columbia e Alberta.

No Campo da Informação, Cultura e Recreação também registraram baixas (12.000 lugares em fevereiro).

No mês passado, também deu um grande revés no Setor de “Outros Serviços” (reparação, manutenção e limpeza), com a perda 44 mil postos de trabalho nos últimos 12 meses.

No setor de Construção houve um impulso e durante o mês de fevereiro, esta área aumentou em 16.000 postos a sua capacidade em contratar trabalhadores. tornou-se

A Taxa de Emprego também subiu da áera de serviços educacionais (15.000 em Fevereiro) e desde o mesmo mês em 2014, o avanço foi de 5%.

Embora o número de trabalhadores no setor privado pouco mudou nos últimos 12 meses, o setor público registrou um avanço de 43 mil lugares no período analisado. No caso dos trabalhadores autonômos o aumento foi de 60.000 no ano passado (2,2%).

Se você levar em conta os parâmetros utilizados nos Estados Unidos para medir o desemprego, no Canadá o indicador foi de 5,9%. No país vizinho, a taxa situou-se em 5,5% em fevereiro.

No caso dos imigrantes, a situação varia, mas de acordo com estatísticas específicas da agência federal, para os imigrantes com cinco anos ou menos no país, a taxa de desemprego é o dobro. Isso apesar do fato de que uma boa parte tem alta preparação acadêmica. Em 2013, por exemplo, a taxa de desemprego para os imigrantes com diplomas profissionais (e menos de cinco anos no Canadá) em Ontario foi de 14,7%, enquanto em Quebec, a taxa foi de 12,4%.

 

Fonte: http://noticiasmontreal.com/145700/statistics-canada-desempleo-en-canada-alberta-recursos-naturales-caida-de-los-precios-del-petroleo-economia-canadiense/

Comentários Facebook
The following two tabs change content below.

Deborah Calazans

Deborah Calazans, Graduada e Pós-graduada em Jornalismo, é membro da equipe da Immi Canada desde 2013 e atualmente atua como a Gerente Geral dos escritórios da Empresa no Brasil, sendo responsável por todo acompanhamento nos processos dos Vistos de Residência Temporária.