Refugiados de quase todos os países tem vindo para o Canadá ao longo dos anos. E muitas vezes os países de onde estas pessoas são prevenientes refletem a história de crises internacionais, como a da Síria e do Iraque hoje, ou Chile e Bangladesh na década de 1970, e Sri Lanka e Haiti, mais recentemente.

Ao longo dos últimos 10 anos, cerca de 26.000 refugiados chegaram ao Canadá anualmente, de acordo com números do Citizenship and Immigration Canada (CIC).

Desse número, uma média de 11.000 eram refugiados que vieram para o Canadá e obtiveram resposta positiva quanto à sua solicitação e 4.000 eram seus dependentes. Sete mil refugiados receberam ajuda do governo canadense e 4.000 foram patrocínio privado.

Em 2014, 23.285 refugiados foram admitidos no Canadá. Nos últimos anos, os refugiados foram responsáveis ​​por pouco menos de 10%  de todos os imigrantes que chegam ao país.

O governo federal anunciou recentemente planos para reassentar 10.000 refugiados sírios (com assistência do governo ou patrocínio privado) ao longo do próximo ano, um pouco menos do que os 12.310 refugiados de todos os países que se estabeleceram no Canadá em 2014.

Sírios também estão vindo para o Canadá e apresentando pedidos de asilo, que são quase todos aprovados. Esse foi o caso de 678 sírios em 2014.

Colômbia é o 1º em número de refugiados

A agência de refugiados das Nações Unidas, UNHCR – United Nations Refugee Agency, fornece dados para os países onde os refugiados tem procurado asilo com sucesso. Durante os 10 anos de 2005 a 2014, cerca de 150.000 refugiados e seus dependentes se tornaram residentes permanentes do Canadá.

Refugiados de oito países respondem por metade do total, com a Colômbia no topo da lista com 17.381.

grafico3

Conflito interno tomou conta Colômbia nas últimas cinco décadas, diz professor da Universidade de British Columbia (UBC) Pilar Riano-Alcala, e os civis tem sido um dos principais alvos das forças armadas, as guerrilhas de esquerda e os paramilitares de direita.

Uma das estratégias-chave de todos os “atores armados”, em termos de guerra, é o deslocamento forçado da população civil“, diz Riano, um dos mais importantes especialistas sobre refugiados colombianos, responsável por investigações para a Comissão de Memória Histórica na Colômbia.

O UNHCR estima que existam 360.000 refugiados colombianos e seis milhões de pessoas dentro da Colômbia que foram forçadas a deixar suas casas.

O Canadá tem sido um importante destino para refugiados colombianos, ajudado por uma política canadense que permite que os colombianos para solicitar asilo ainda na Colômbia, diz Riano.

China, Sri Lanka, Paquistão e Haiti seguem atrás da Colômbia na lista do UNHCR referente ao início de 2014.

O UNHCR reconhece as pessoas como refugiados se eles fugiram de seus próprios países, tem um receio fundado de perseguição devido à sua raça, religião, nacionalidade, grupo social ou política e são incapazes ou não dispostos a receber proteção contra o seu governo, caso retornem.

Iraque foi o país que mais enviou refugiados em 2014

Uma lista diferente emergiu em 2014, olhando para todos os refugiados admitidos, independentemente da categoria.

Iraque foi o número 1, seguido por Eritreia, Irã, Congo e Somália. Síria está em sexto lugar. Os oito países foram responsáveis ​​por metade de todos os refugiados admitidos.

grafico2

O Iraque também foi o país melhor classificado para os refugiados assistida pelo governo admitidos em 2014. O Irã, Congo, Somália e Eritreia também classificar entre os cinco primeiros, que respondem por 2/3 de todos os refugiados assistidos pelo governo canadense.

Eritreia ocupa o primeiro lugar para os refugiados com patrocínio privado, seguido de Síria, Somália, Iraque e Afeganistão. Esses cinco países respondem por 3/4 dos refugiados por patrocínio privado admitidos no Canadá em 2014.

Durante os cinco anos de 2010 a 2014, mais de 17.000 iraquianos foram reassentados no Canadá.

Haiti, Colômbia, Afeganistão e Somália também se classificaram perto do topo da lista dos refugiados admitidos durante esses cinco anos.

Os dados do CIC mostram que os iraquianos estão no topo da lista para o número de refugiados assistidas pelo governo e admitidos entre 2010 e 2014, com exceção de 2012, quando ficou em segundo lugar por sete refugiados, atrás do Butão. Os iraquianos também lideraram a lista com o número de refugiados com patrocínio privado admitidos entre 2010 e 2013.

México ficou em primeiro lugar para os refugiados que haviam sido concedido asilo no Canadá e, em seguida, recebeu seu status de imigrante permanente (residência permanente) em 2014. Haiti, Paquistão, China e Nigéria se classificaram próximo, talvez refletindo o intervalo de tempo entre quando um refugiado é aceito no Canadá e recebe status de imigrante legalizado. Haiti ficou em primeiro lugar entre 2011 e 2013.

China número 1 em refugiados aceitos pelo IRB

Solicitações de refúgios são enviadas ao Immigration and Refugee Board (IRB) do Canadá. O conselho pode aceitar ou rejeitar a afirmação de um refugiado, ou o requerente pode retirar ou abandonar uma reivindicação.

grafico1

Durante os 10 anos entre 2005 e 2014, o IRB recebeu quase 100 mil pedidos de refúgio, com uma taxa de aceitação global de 41% . O conselho rejeitou um pouco mais de candidatos que aceito, mostram os números do IRB.

Em 2014, a taxa de aceitação foi de 49%, a maior desde 1995.

Nos primeiros seis meses de 2015, os dados fornecidos pelo IRB mostra o conselho aceitou 5.006 pedidos e rejeitou 3.091. A taxa de aceitação aumentou em 56%. A taxa de rejeição foi de 35%, abaixo dos 43% nos últimos 10 anos.

Refugiados provenientes da China tiveram o maior número de pedidos aceitos, seguido por Paquistão, Hungria, Iraque e Síria.

94% dos candidatos sírios aceitos

Analisando apenas as aplicações de refugiados provenientes dos 42 países para os quais o IRB tem finalizado 50 ou mais casos durante os primeiros seis meses de 2015, a Síria teve a maior taxa de aceitação, de 94%.

De 2006 a 2011, a taxa de aceitação de refugiados sírios é em média de 5%. Desde 2013, essa taxa tem sido maior que 90%.

No dia 18 de setembro, o IRB começou a avaliar reivindicações de refugiados sírios que já estão no Canadá, no âmbito de um processo acelerado. Isso significa que em algumas reivindicações não serão necessárias audiências.

Após a Síria, os demais países com maiores taxas de aceitação são Eritreia, Iraque, Líbia e Egito.

Os norte-coreanos não tinham aplicações de refugiados aceitos pelo IRB e obtiveram 26 rejeitadas. Isso significa que eles tinham a menor taxa de aceitação entre os 42 países, seguidos pela Romênia (1,4%), os EUA (2,8%), Croácia (22,3%) e Guiné (34,5%) seguinte.

O IRB aceitou pedidos de refugiados de 121 países nos seis primeiros meses de 2015.

 

Fonte: https://ca.news.yahoo.com/canadas-refugees-where-come-numbers-090000774.html

Comentários Facebook
The following two tabs change content below.

Deborah Calazans

Deborah Calazans, Graduada e Pós-graduada em Jornalismo, é membro da equipe da Immi Canada desde 2013 e atualmente atua como a Gerente Geral dos escritórios da Empresa no Brasil, sendo responsável por todo acompanhamento nos processos dos Vistos de Residência Temporária.