A Immi Canada falou bastante sobre o trânsito no Canadá neste post publicado em novembro deste ano. Lá, comentamos um pouco sobre como funciona a organização geral do trânsito em termos de pedestres, ciclistas, carros, ônibus e metrô.

Em Dirigindo no Canadá – Parte I e Parte II, vamos falar um vamos falar sobre tudo o que você precisa saber caso esteja pensando em dirigir no Canadá.

 

Semelhanças e diferenças

 

No nosso primeiro texto, vamos falar um pouco a respeito das semelhanças e diferenças entre o que existe no Brasil e o que podemos esperar no Canadá a respeito de regras e mesmo diferenças culturais em termos de habilitação e comportamento no trânsito. No próximos texto, vamos falar sobre a carteira de habilitação canadense (e como conseguir uma) e também vamos falar brevemente sobre as regras existentes para quem tem (ou está pensando em ter) um carro.

Diferentemente do Brasil, onde existe a Carteira Nacional de Habilitação, no Canadá a carteira de habilitação ou driver’s licence é provincial. Mas isso não quer dizer que a carteira não seja válida por todo o território Canadense. O que muda é que, caso a pessoa decida ir morar em outra província, será preciso emitir uma nova driver’s licence, daquela província. É que no Canadá as províncias são relativamente independentes, o que faz com que cada província possua regulamentações específicas para os seus residentes. É por isso que existem diferenças entre leis entre várias províncias, embora também haja, no Canadá, leis e regras que valem para todo o território.

A categoria B do Brasil, mais comum e referente a carros de passeio, é equivalente à class 5 do Canadá.

 

Idade

 

No Brasil, podemos dirigir com 18 anos. É preciso passar por aulas teóricas e práticas em uma autoescola, um requisito obrigatório, para que então o candidato à carteira de habilitação possa fazer o exame psicotécnico, a prova teórica e o teste prático junto ao Detran do seu estado.

Já no Canadá, a idade mínima para conseguir uma licença é 16 anos, sendo que na maioria dos casos uma autorização dos pais ou responsáveis é necessária, já que a maioridade no Canadá é de 19 anos, na maioria dos casos, ou 18 anos, no caso de Alberta, Manitoba e Québec. Falando nisso, caso você tenha 18 ou 19 anos e esteja no Canadá ou vindo para o Canadá, é importante verificar a legislação da província onde você pretende ficar, para o caso de não ter surpresas desagradáveis ao ser barrado em um bar, por exemplo.

Voltando ao assunto do texto: além da idade mínima para a obtenção da driver’s licence ser menor do que no Brasil, em Alberta, por exemplo, com 14 anos já é possível ter uma licença conhecida como class 7: learner licence. Com ela, é possível dirigir, desde que acompanhado por alguém que já possua uma driver’s licence class 5.

 

Aprendizagem

 

Como muitas pessoas já sabem, no Canadá não é preciso passar por aulas de autoescola, desde que você tenha alguém que possa ensinar a você o que você precisa saber para que possa digirir, e também os conhecimentos necessários para ser aprovado na prova escrita e no road test.

É muito fácil encontrar nos sites dos governos provinciais guias e folhetos informativos que ensinam a respeito de como proceder para obter a habilitação, e também que ensinam a respeito das regras de trânsito que o candidato deve estudar.

 

 

Regras de trânsito

 

Dirigir é uma atividade que a princípio parece ser a mesma tanto no Brasil quanto no Canadá. No entanto, existem algumas diferenças que é preciso observar. Falamos um pouco a respeito dessas diferenças no nosso texto sobre o trânsito, e agora vamos falar com um pouco mais de detalhes a respeito das regras e sinalizações diferentes que existem por aqui.

Em primeiro lugar, a regra de que sempre é possível virar à direita, mesmo com o sinal vermelho (desde, claro, que não exista nanhum tipo de sinalização indicando o contrário).

Em segundo lugar, as placas de sinalização. Como é possível verificar a partir da página 30 deste guia, por exemplo, existem algumas placas que não são familiares para os brasileiros, mas que é preciso conhecer. São, por exemplo, a placa a respeito de “Disaster Response Route”, indicando que aquela rua não deve ser utilizada em caso de desatres, a não ser por veículos de emergência, e a placa a respeito de pneus para neve, indicando que devem ser utilizados em um determinado período do ano. Além disso, claro, em determinados lugares pode haver placas de sinalização indicando a presença eventual de ursos ou alces.

No Canadá, em algumas ruas, tanto dentro das cidades quanto em highways, pode haver um sistema de semáforos que ficam suspensos, um sobre cada pista. Esses semáforos geralmente apresentam uma seta verde nas pistas da direita e um X vermelho nas pistas da esquerda. O que acontece é que como o fluxo do trânsito varia em determinados dias e períodos do dia, os operadores de trânsito podem mudar a disposição dessas pistas, deixando, por exemplo, 2 pistas liberadas para quem vai e apenas 1 pista liberada para quem volta.

No caso das famosas four-way stops, quando há placas de sinalização parando o trânsito em todas as esquinas, o veículo que chegar primeiro e parar completamente antes de prosseguir terá a vez, sendo que é sempre preferível ceder sua vez caso você pretenda fazer uma curva à esquerda e o veículo oposto a você pretenda seguir reto.

Quanto a diferenças culturais, algumas regras devem ser notadas. Os motoristas canadenses dirigem com bastante cuidado, sempre atentos para pedestres ou ciclistas, principalmente nas regiões centrais. Quando o sinal está vermelho, ou então em um engarrafamento, é considerado de bom costume deixar espaço à sua frente caso você perceba um veículo que pretenda sair de sua vaga no estacionamento da rua. Semelhante a isso, o efeito zíper é muito respeitado por aqui, aquela noção que diz que caso exista um cruzamento em T, os veículos devem seguir alternadamente, de forma que nenhuma das duas filas precise esperar muito tempo pela sua vez.

Comentários Facebook