Quem tem o sonho de sair do Brasil em busca de uma vida melhor em terras canadenses e começa o plano Canadá, com certeza já se deparou com a informação de que os profissionais de TI ou tecnologia da informação (TI na sigla em português e Information Technology – IT – em inglês) são altamente requisitados no país e possuem grandes chances de imigrar se aliarem a experiência profissional com o domínio de uma das duas línguas oficias do país: inglês ou francês.

Em fevereiro deste ano a Randstad Canada divulgou uma lista com as 10 profissões que são e vão continuar sendo as mais requisitadas no território ao longo deste ano (clique aqui e confira a lista completa no artigo que escrevemos a respeito). Entre elas, estão analistas de negócios, engenheiros de software e gerente de projetos de TI.

O mesmo estudo também revelou que somente o setor de tecnologia da informação emprega 488 mil profissionais no país, sendo que, deste número, 11,5 mil novas posições foram criadas em 2017. Das novas vagas ocupadas, cinco mil foram criadas e preenchidas em Toronto. Montreal ficou com o segundo lugar, com dois mil novos trabalhadores empregados.

Experiência e oportunidades

O analista de sistemas Fabiano* está no Canadá, na cidade de Toronto, há dois anos e meio. No início, ele explica que a esposa veio para fazer um college e ele recebeu o Open Work Permit (OWP). Ele conta que levou um mês e quinze dias para encontrar o trabalho na área. “Consegui de fato após um mês e 15 dias, pois considero o dia que recebi a proposta de trabalho mesmo, sendo que desse tempo, os primeiros 30 dias foram de teste, sem receber, proposto pelo diretor da empresa. Após exatamente um mês e tendo ido bem no período de teste, recebi a proposta para a full-time position. Mas se for considerar período de busca por emprego, foram 15 dias”, relata o profissional.

profissionais de ti

Sobre o processo de contratação, o analista explica que fez uma pré-entrevista com o diretor por telefone, depois uma entrevista presencial com outro profissional da empresa e um teste técnico. “Não fui bem neste teste pois eu estava já há alguns meses sem trabalhar. Mas após o exame, o diretor veio conversar comigo, dizendo que havia gostado do meu perfil e perguntou se eu estava disposto a fazer o período de trial de um mês”. Fabiano conta que aceitou a proposta e após exatamente trinta dias foi chamado para uma nova conversa onde recebeu a proposta de um emprego full-time na companhia.

Sobre as dificuldades para se adaptar ao ambiente, ele conta que “a minha maior dificuldade foi técnica, pois estava acostumado a trabalhar com uma determinada linguagem de programação (C#) e o sistema que eu passei o trabalhar era escrito em uma outra linguagem (vb.net), elas possuem muitas similaridades mas foi um tempo que eu ia e voltava para o trabalho assistindo vídeo aulas, estudando em casa e até lendo livro para conseguir me adaptar ao que me era exigido pro trabalho. Foi um período bem tenso, pois eu sentia que fora me dada uma baita oportunidade e eu não poderia deixar a mesma escapar pelos meus dedos. Estudei muito e consegui entregar os resultados esperados”, comemora.

Para ele, o modo de trabalho também é diferente do que estava acostumado no Brasil, pois a equipe é pequena. “Os colegas de trabalho que eu tenho, ao meu ver, possuem uma visão individualizada de trabalho e é mais difícil a comunicação, já eu penso muito mais como equipe, onde um ajuda o outro e tudo mundo fica bem. Então esse choque de estilos também dificultou um pouco a adaptação”, conta o profissional de TI.

Ele enxerga o mercado de tecnologia da informação com bons olhos no Canadá, baseado em suas experiências e vivência. Afirmando que existe muita procura e diversas vagas, pois as empresas possuem dificuldades para encontrar o colaborador ideal. “Ora o candidato não é qualificado o bastante, e em outros momentos ele é, mas não quer trabalhar em determinada região, e ainda por vezes o tipo de trabalho a ser executado não vai de encontro com as expectativas do funcionário, não acontecendo o match entre o empregador e o empregado”, relata Fabiano. Ele ainda afirma que, para quem está buscando o primeiro emprego na área no país, ajustes por parte do candidato sempre são necessários, pois dar os primeiros passos e adquirir experiência para quem não possui residência permanente exige adaptação.

profissionais de ti

Sobre os planos para o futuro, o brasileiro está otimista. “Acredito que com uma experiência canadense maior, me serão abertas portas para trabalhar em lugares maiores, com equipes e projetos maiores. No Brasil, eu exercia uma posição de liderança técnica. Provavelmente num futuro não muito distante eu deva caminhar para o mesmo lado. Uma vez que na área de IT você nunca para de estudar, continuo me especializando nas novas tecnologias pra não limitar minhas possibilidades futuras”, ressalta o analista de sistemas.

Visto para profissionais de TI em dez dias

Sim, você leu direito. Recentemente e Bloomberg divulgou uma notícia (clique aqui e veja a matéria), onde um brasileiro, que cumpria as qualificações para a vaga ofertada pela empresa ThinkData Works Inc., foi contratado e o processo de visto levou menos de 10 dias úteis.

A empresa, que possui sede em Toronto, é uma grande companhia de processamento de dados, contratou um engenheiro de software do Brasil, através do programa rápido de vistos. Segundo a matéria da agência de notícias, o diretor do negócio, Bryan Smith, declarou que o processamento do visto levou menos tempo do que o prazo de 10 dias úteis, estipulado pelo governo canadense. E a notícia é ainda melhor, pois o trabalhador brasileiro se junta ao número de dois mil profissionais já contratados por meio desta categoria, entre os meses de junho e setembro deste ano. Ahmed Hussein, ministro da imigração do Canadá, declarou que a criação deste programa veio de uma necessidade dos empresários, que não tinham profissionais suficientes para suprir a mão de obra e precisavam disso com urgência. Ele ainda ressaltou que a categoria está sendo mais bem sucedida do que previam.

profissionais de ti

Destes dois mil novos empregados, quase a metade são de origem indiana, 988, para sermos exatos (veja o gráfico abaixo). O segundo lugar fica com a China, o terceiro com a França e, na quarta posição, temos o Brasil, que já tem 75 profissionais de TI no Canadá por meio do programa.

*Para mais informações a respeito desta categoria de visto acesse https://www.immi-canada.com/profissionais-de-ti-visto-de-trabalho/.

*O nome foi modificado por opção do entrevistado.

Fabíola Cottet

Comentários Facebook
The following two tabs change content below.

Fabiola Cottet