Em quase todos os programas de imigração o requisito é: curso superior. Quando ele não é exigência, conta diversos pontos que, se o candidato não tiver, não vai conseguir ser elegível ao programa. Mas é possível imigrar sem curso superior? A resposta é sim, existem alternativas. Mas é importante frisar que elas são específicas e atendem somente a algumas profissões.

Porém, mesmo sem a exigência do curso superior propriamente dita, os candidatos ganham mais pontos no ranking do programa se já tiverem obtido o diploma. Além disso, outros requisitos são necessários para se enquadrar nos processos, como experiência de trabalho comprovada, proficiência no idioma, dentre outros.

Abaixo elencamos as três opções para quem deseja muito morar no Canadá, mas não ingressou uma faculdade no Brasil ou, ainda, está cursando uma e mesmo assim quer mudar e ter uma melhor qualidade de vida em terras canadenses. É importante lembrar que, para qualquer processo de imigração, o sonho está presente, o investimento é considerável e são várias as regras de cada programa, portanto é sempre indicado consultar e contratar os serviços de um profissional de imigração, tanto para aconselhamento quanto para o acompanhamento do processo. A Immi Canadá oferece estes serviços e, para mais informações, basta acessar www.immi-canada.com/consulta/ ou mandar um email para [email protected].

curso superior

Federal Skilled Trades Program

Este é uma categoria que fica no leque de processos que o Express Entry agrupa. Claramente, neste tipo de imigração, as informações do governo canadense dizem que não há um nível mínimo de diploma exigido, contanto que o aplicante se enquadre nos outros requerimentos. São eles:

  • Planejar viver fora da província de Quebec;
  • Atingir as notas mínimas em inglês ou francês para ser elegível em cada categoria: escrita, fala, capacidade de ouvir e leitura (speaking, reading, writing and listening – para ver quais são as notas, clique aqui);
  • Ter no mínimo dois anos de experiência na profissão em questão, nos últimos cinco anos que antecedem a aplicação;
  • Atender aos requisitos de profissões em demanda, conforme especificado no National Occupation Classification (NOC), para a categoria em questão;
  • Possuir uma oferta de trabalho na qualificação, em tempo integral, de pelo menos um ano (não pode ser uma vaga temporária), ou um certificado de qualificação na profissão emitido por uma província canadense.

As profissões que podem se enquadrar nesta categoria são: comércio industrial, eletricista, construtor (pedreiro), operação de manutenção e equipamentos, supervisores e técnicos em recursos naturais, agricultores, supervisores de processamento, fabricação e serviços públicos, operadores de controle central, chefs de cozinha e cozinheiros, açougueiros e padeiros. Para ver mais detalhes e o NOC de cada uma das especialidades, acesse o link clicando aqui.

Outros fatores contam pontos também. Como já dito, não é obrigatório ter um diploma de ensino superior, porém ele melhora a pontuação. As qualificações e experiências do cônjuge também podem ajudar e, quanto maior for a nota na ou nas línguas oficiais do país, maior as chances de imigrar pelo Skilled Trade.

Para mais informações acesse: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/immigrate-canada/express-entry/become-candidate/eligibility/skilled-trades.html.

Self-Employed

Já fizemos um texto bem completo a respeito desta categoria de imigração, que pode ser acessado clicando aqui. Porém, basicamente, ele é um programa para profissionais autônomos de algumas categorias, onde o aplicante principal precisa atingir, no mínimo, 35 pontos em 100 possíveis, para ser elegível.

Também neste processo, o diploma universitário não é exigência, o candidato pode ter nível técnico e até nível médio, que pontuará de acordo com o grau de especialização dentro de educação (clique aqui e saiba mais). A pontuação é baseada em alguns critérios: experiência, educação, idade, adaptabilidade e proficiência na(s) língua(s) oficial(is). O governo canadense também pode pedir uma entrevista, além de exames médicos e atestados de antecedentes criminais. O aplicante precisa exercer atividades culturais, esportivas ou de fazendas, de maneira autônoma, para poder aplicar.

O Self-Employed é uma categoria bastante subjetiva e depende de vários documentos e da análise minuciosa do oficial de imigração. Portanto é mais necessário ainda ter um profissional de imigração acompanhando para não ter surpresas desagradáveis no caminho.

curso superior

Estudar no Canadá

Fazer uma graduação, universidade, curso técnico ou um college no país também é uma ótima opção para quem não possui ensino superior e mesmo assim quer imigrar. Claro que as despesas e o custo são maiores, porém o ganho de carreira, experiência de vida e currículo estudantil compensam.

Já fizemos vários artigos falando sobre como imigrar por meio dos estudos, você pode acessá-los nos links abaixo:

Mas basicamente o processo consiste em aplicar para um visto de estudo no país, atendendo aos requerimentos mínimos de proficiência na língua do curso escolhido, provas de recursos financeiros, exames médicos e documentação. Durante o período de estudos o governo permite que o estudante trabalhe part-time, ou seja, meio período. Após o término, para algumas instituições credenciadas, é possível aplicar para o Post Graduate Work Permit (PGWP), que é um visto de trabalho em período integral. Durante este período o candidato pode aplicar para um processo de imigração que melhor se adapte ao ser perfil, conseguindo pontos extras por ter feito um curso superior no Canadá ou, ainda, conseguir um emprego na área de atuação.

Confira mais informações sobre o Express Entry e outros programas de imigração nos links:

www.immi-canada.com/express-entry-canada-para-imigrar/

www.immi-canada.com/como-imigrar-canada-sem-express-entry/

Fonte: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship

Fabíola Cottet

Comentários Facebook
The following two tabs change content below.