Uma pesquisa recente da Indigo Global Wellness, com publicação da empresa britânica de investimentos LetterOne, concluiu que o Canadá é o país mais saudável do mundo. Isso mesmo, não bastassem todos os indicadores de qualidade de vida e Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), as terras do True North também fazem bem a saúde dos seus cidadãos e das pessoas que vivem dentro de seus territórios.

A notícia chega em um momento de pleno sucesso do Canadá, que fica quase sempre entre os 10 melhores em rankings de desempenho econômico, igualitário, social e humano. Prova disso, por exemplo, é o recente estudo que provou que as terras do True North estão em oitavo lugar de melhores para mulheres viverem, ficando nesta posição somente pela falta de um programa federal de auxílio maior para creche para as crianças de até quatro ou cinco anos, dependendo da província (clique aqui e confira o artigo completo que escrevemos a respeito do tema).

Ademais, 2019 é um ano de mais conquistas ainda para o país do Hemisfério Norte. Ele foi eleito, pelo quarto ano consecutivo, o território com a melhor qualidade de vida do mundo. O estudo foi feito pela U.S News, em parceira com o grupo BAV, a empresa de marketing VLMY&R e a Wharton School, da Universidade da Pensilvânia. Foram entrevistadas mais de 20 mil pessoas, que deram suas percepções a respeito de 80 países, baseadas em 75 métricas diferentes. Também são avaliados índices econômicos e outros dados. A classificação de qualidade de vida baseia-se em uma média entre os fatores: acessibilidade, mercado de trabalho, estabilidade da economia, família, igualdade de renda, sistema de educação pública, estabilidade política e sistema de saúde pública. Os entrevistados apontaram o Canadá como melhor país, em sua maioria, por ser, primeiramente, politicamente estável. Depois apareceram aspectos como um excelente mercado de trabalho e um sistema de saúde pública bem desenvolvido.

*Acesse este linke saiba mais indicadores e dados sobre a qualidade de vida do Canadá.

saudavel

Falando sobre o sistema de saúde, o estudo da Indigo foi publicado em um momento em que os especialistas e pesquisadores que traçam indicadores e realizam os estudos, estão ampliando as análises de desempenho de economia para além de índices gerais e comuns, como o do Produto Interno Bruto (PIB) e taxa de desemprego. O que mostra aos leitores que uma população saudável e feliz também é extremamente importante para os índices de desenvolvimento da região.

A pesquisa levou em consideração os seguintes fatores: expectativa de vida média da população, gastos dos governos (tanto na esfera federal como na estadual) com saúde pública, níveis de obesidade e sedentarismo entre a população, riscos de diabetes, número de casos comprovados de depressão clínica, os níveis de consumo do cigarro e de álcool entre os habitantes e, por fim, uma categoria que eles chamaram de felicidade.

Depois de ranquear os países de acordo com os critérios acima, eles dividiram a pontuação de cada um em três níveis de satisfação, de acordo com a performance: boa, dentro da média e pobre. O Canadá teve um ranqueamento considerado bom em quase todas as categorias, porém no que diz respeito a depressão e sedentarismo ficou na média e classificado como pobre na categoria de obesidade.

A maior pontuação, que foi a canadense, é de 0,69 do máximo de um. Entre os dez melhores, ainda podemos citar Omã, Islândia, Filipinas, Maldívias, Países Baixos, Singapura, Laos, Coreia do Sul e Cambódia.

Os bons números canadenses não param por aí. No final do ano passado o país também foi considerado um dos mais ricos do mundo, de acordo com um estudo recente realizado pela consultoria New World Wealth com o apoio do AfAsia Bank, intitulado “Global Wealth Report Review 2018”. Ele destacou o Canadá ocupando as primeiras 15 posições em diversos rankings, como o das cidades mais ricas do mundo, sendo um dos países mais ricos do globo em riqueza total, além de figurar nas 10 primeiras posições quando falamos de fortuna per capita, além de ser um dos territórios com melhor distribuição de renda da Terra. As instituições que fizeram a pesquisa classificaram os locais por riqueza total, per capita e também os níveis de desigualdade em cada região.

saudavel

Além disso, o Canadá também está entre os top 10 quando o assunto é felicidade. Segundo o World Happiness Report, produzido por organizações e institutos de pesquisa internacionais, divulgado no último dia 20 de março deste ano, em um evento da Organização das Nações Unidas (ONU), as terras canadenses estão em nono lugar no que diz respeito aos habitantes mais felizes.

São vários fatores utilizados para calcular a felicidade: expectativa de vida, renda, corrupção, apoio social, liberdade, igualdade, confiança e vida saudável. No estudo, 165 países foram analisados e, para se ter uma ideia, o Brasil ficou em 32º lugar. Outro destaque da classificação é que o top 10 é praticamente dominado pelos países nórdicos, estando entre eles a Finlândia, que ocupou o primeiro lugar, a Noruega, Suécia, Islândia e Dinamarca.

*Para ler a matéria completa sobre os países mais felizes do mundo clique aqui.

Fonte: http://global-perspectives.org.uk/volume-three/infographics/.

Fabíola Cottet

Comentários Facebook