Chegou o final do ano, você concluiu seus estudos no Canadá e está na hora de aplicar para o Post-graduation Work Permit (PGWP). Como fazer? Quais são as exigências? Meu cônjuge também tem direito? Qual é o tempo de aplicação? Quais são os documentos necessários? Essas e muitas outras dúvidas passam pela cabeça de quem precisa e vai enfrentar mais esta etapa.

Pensando em todos estes questionamentos, nós da Immi Canada, fizemos um texto para explicar melhor o que é o PGWP e esclarecer algumas das dúvidas que podem surgir durante o processo. Lembrando que todos os procedimentos de visto e documentação nas terras do True North são minuciosos e precisam estar dentro das exigências canadenses. A Immi fornece assessoria para aplicação do PGWP e também para diversas outras solicitações de visto. Para mais informações entre em contato conosco pelo site www.immi-canada.com/loja-virtual/ ou envie um email para contact@immi-canada.com.

O que é e quem tem direito?

O Post-graduation Work Permit nada mais é do que uma permissão de trabalho que o aluno tem direito ao final de um curso, que pode ser uma pós-graduação, um certificado, diploma, bacharel ou mestrado no país. Este direito é uma oportunidade de ficar mais um período em terras canadenses, desde que sejam cumpridas todas as regras vigentes, sendo algumas relativas à instituição de ensino e outras ao aluno. O cônjuge do estudante também pode ter direito a este benefício, porém, para isso, existem algumas restrições que vamos explicar ao longo do artigo.

Um estudante internacional, depois de formado em uma instituição de ensino superior canadense, que são caracterizadas por colleges ou universidades e estão na lista de Designated Learning Institutions (DLI) do governo federal (clique aqui para saber quais são elas), tem direito de aplicar ao PGWP, desde que aluno e instituição cumpram as normas estabelecidas na legislação vigente. Lembrando que, caso o aluno opte por cursar um degree em uma universidade privada, ele também terá direito a permissão de trabalho após a conclusão.

*Atenção: uma escola que deseja receber estudantes internacionais deve ser uma DLI. As instituições fora da lista não podem receber alunos do exterior, independentemente do curso: inglês, bacharelado, vocacionais, etc. Se o curso escolhido vai ou não dar o direito ao PGWP depende de outros requisitos que a escola, programa e aluno precisam cumprir.

pgwp

O PGWP é um visto de trabalho aberto, dando a permissão ao portador de trabalhar por um período de oito meses a três anos, variando conforme o tempo do curso. Porém, ele deve ser full-time, com duração mínima de oito meses, em uma instituição de ensino pública (ou um programa de degree caso o curso seja realizado nas particulares). Portanto, após a conclusão dos estudos, esta é uma excelente oportunidade para buscar colocação na área, pois é permitido trabalhar em período integral, visto que durante os estudos o concedido é de, no máximo, 20 horas semanais, ou seja, part-time.

*Para saber mais informações sobre como estudar e trabalhar no Canadá, clique aqui.

Quanto tempo vale o PGWP?

Isto vai depender do período de duração do seu curso. Segundo o site do Immigration, Refugees and Citizienship Canada (IRCC), que estabelece este tipo de norma. Para estudantes de línguas, independentemente do período, não é permitido o trabalho part-time durante o curso e o aluno não é elegível ao PGWP após o término, não importando o tempo de duração do programa. Também não é apto a aplicar quem fez um curso de menos de oito meses de duração, mesmo que seja uma pós-graduação em uma DLI.

Os que fazem um programa de oito meses ou um ano receberão um PGWP equivalente ao período de estudos. O IRCC dá o exemplo de que, se seu curso foi de oito meses, o visto de trabalho pós-término deve ser emitido com a validade de oito meses. Já para aqueles que escolhem um programa de dois anos ou mais, o PGWP será de até três anos de duração. O departamento de imigração do território ainda ressalta que o tempo máximo para o visto de trabalho aberto é de três anos, mesmo que o aluno tenha cursado mais anos de estudo no país.

Mas aqui cabe um detalhe: leve em consideração que este período não é 100% fechado. A partir da análise dos seus documentos, o oficial de imigração pode dar mais ou menos tempo, desde que não excedam os três anos máximos, baseado em análises pessoais e justificativas encontradas no processo.

pgwp

Quando devo aplicar?

Aqui vai uma informação importantíssima: a aplicação para o PGWP precisa, necessariamente, ser realizada em até 180 dias após o recebimento do documento oficial de conclusão do curso. É por isso que, quem aplica para um visto de estudos, geralmente o recebe com um período de três meses a mais do que a duração do programa acadêmico. Este tempo deve ser utilizado para a solicitação do Post-graduation Work Permit, voltar para o país de origem, ou aplicar para outra extensão de visto possível. Por isso, o aplicante deve estar com status de estudo válido no país no momento de dar entrada.

Cada pessoa pode solicitar o PGWP somente uma vez na vida. Por isso é importante pensar bem após o término do curso. Caso o aluno vá ao Canadá para uma pós de um ano e, após o término, decidir aplicar para um outro curso, é aconselhável solicitar a permissão de trabalho somente ao final dos estudos e, para que o PGWP seja dado pelo tempo de duração dos estudos acumulando os dois programas cursados, eles não devem ter nenhum intervalo de tempo. Ou seja, caso o término do primeiro college seja em maio, o próximo curso deve vir logo a seguir no período letivo, ou seja, setembro.

Além da carta de conclusão, fornecida pela escola, o candidato precisa de documentos básicos como passaporte e cópia da permissão de estudos (para saber mais sobre os documentos necessários, clique aqui). Como já dissemos, mas é sempre bom frisar que a decisão final, tanto quanto ao recebimento do documento como quanto a prazos de validade, é de inteira responsabilidade do oficial de imigração que irá avaliar a aplicação. O mesmo pode, inclusive, pedir documentos adicionais que achar necessário para avaliação.

O estudante pode continuar trabalhando part-time após ter concluído o curso, porém deve deixar o trabalho no momento em que recebe o documento oficial de conclusão, podendo retornar ao emprego, com permissão full-time, somente após solicitar o PGWP (para mais informações acesse este link).

E meu cônjuge, também têm direito?

Tem, mas para que a permissão seja extensível ao parceiro do aplicante principal, o recém-formado deve ter um contrato de trabalho firmado em uma empresa, para um emprego full-time, na National Occupational Classification (NOC’s) 0, A ou B (clique aqui e vejam quais são as profissões que se enquadram nesta lista), e também apresentar os três últimos paychecks (que são os “holerites” canadenses). Não é necessário ter uma empresa como sponsor e nem um processo envolvendo LMIA, somente a comprovação do contrato de trabalho para solicitar a extensão ao cônjuge.

pgwp

Caso isto não ocorra, é possível sim pedir o visto de trabalho do parceiro(a) posteriormente, quando o estudante e aplicante tiver a oferta de emprego em mãos. Cada caso deve ser analisado individualmente, porém é importante que o acompanhante não permaneça ilegal (sem status) no país. Por isso, se o trabalho vier depois, uma atenção especial deve ser dada a solicitação de visto de turista para o cônjuge e, após ter a oferta de trabalho nos NOC’s especificados, obter a mudança de status.

*Atenção: é importante frisar que cada caso deve ser analisado e que a concessão do visto depende da análise do oficial de imigração. Também é importante observar, em alguns casos, as observações descritas na permissão de trabalho vigente do cônjuge, dentre outros aspectos.

Quanto tempo o PGWP demora para sair?

Segundo o site oficial do governo do Canadá (consulta realizada no mês de dezembro de 2018), o prazo para esta permissão está, para aplicações online, em 69 dias corridos. Já para as enviadas em papel o estimado é de 111 dias. Para a aplicação, o estudante recém-formado deve pagar uma taxa de CAD$ 255. Com relação ao tempo de espera para qualquer período de processamento de vistos e permissões, o IRCC mantém um site atualizado que pode sempre responder, com mais precisão, quanto vai demorar para sair determinado visto. Para acessá-lo basta clicar aqui.

*Leia mais sobre as concessões e vistos para a família durante o PGWP clicando neste link.

*Lembramos que a província de Quebec possui suas exceções e exigências para concessão de PGWP, que podem ser acessadas clicando aqui.   

Fabíola Cottet

Que o Canadá é um dos países com maior qualidade de vida do mundo já não é mais novidade para ninguém. Só que, além disso, ele também é um dos mais receptivos a novos imigrantes, o que faz com que diversas pessoas o escolham como destino para imigrar. Um dos caminhos mais comuns é estudar e trabalhar no Canadá, para depois aplicar para um visto de residência permanente e, consequentemente, imigrar para o território.

Prova disso é um estudo realizado este ano pela empresa Gallup. A pesquisa revelou que o Canadá é o quarto país que melhor aceita imigrantes no mundo, perdendo apenas para a Islândia, Nova Zelândia e Ruanda (para mais detalhes sobre a análise, clique aqui). Ademais, o verdadeiro True North é considerado um dos territórios mais ricos do mundo, de acordo com dados que podem ser acessados no artigo que escrevemos clicando neste link.

Pois bem, motivos não faltam para querer morar, estudar e trabalhar no Canadá. Tirando toda a questão de portas abertas a imigração e qualidade de vida, o local possui uma ótima infraestrutura, transporte público acessível, diversas oportunidades de trabalho e muitas belezas naturais e opções de lazer. Por estas e outras as terras canadenses valem a pena – veja também o artigo que fizemos “Dez bons motivos para morar no Canadá”.

Quem começou a pesquisar a adentrar no mundo da imigração, sabe que existem diversas maneiras diferentes de entrar, estudar, morar e trabalhar no Canadá legalmente. Quem não se encaixa nos requisitos do Express Entry, processo de imigração econômica federal que mais leva estrangeiros ao território, acaba optando por fazer um curso e ir como estudante, visto que, além de ter no currículo uma pós-graduação canadense, a oportunidade de ficar e virar residente é palpável e se torna mais fácil. Pensando nisso, nós da Immi Canadá explicamos abaixo como estudar, escolher o curso e trabalhar no país.

*Veja se você pode se qualificar diretamente ao Express Entry e saiba mais informações sobre o processo clicando aqui e também acessando este link.

trabalhar no canada

Escolher o curso e iniciar os estudos

Primeiramente é importante entender como funciona o sistema educacional canadense, que é diferente do que estamos acostumados no Brasil. Para poder trabalhar e estudar no país o aluno deve escolher um curso full-time, ou seja, em período integral, com duração superior a seis meses, não pode ser um programa de aprendizado de línguas (inglês ou francês) e a instituição escolhida deve estar na lista de Designated Learning Institutions. Existem dois tipos de instituições que oferecem estes programas: colleges e universities.

Se a escolha for um college, a opção do candidato é um curso de menor duração e voltado ao mercado de trabalho. O foco é prático, resultando em diplomas e certificados para que profissionais atuem em áreas específicas. Geralmente, os programas de estudo possuem duração de seis meses a dois anos, com opções de carga horária part-time ou full-time. Lembrando que na imensa maioria dos casos, se a intenção do aplicante for a futura imigração, a escolha deve ser pela opção de período integral. O ensino em meio período não conta pontos para alunos internacionais que aplicam para programas de imigração e também não dá direito a diversos benefícios como o Post Graduation Work Permit (PGWP).

A university, oferece cursos mais longos como bacharelados, mestrados e doutorados. O foco das instituições é mais voltado à pesquisa, teoria e ao caminho acadêmico, ao contrário dos colleges. As universidades canadenses estão no ranking de melhores do mundo para estudar, sendo conhecidas como instituições de prestígio ao redor do globo. As aulas, tanto para os colleges como para as universidades, costumam iniciar em janeiro ou setembro, alguns ainda possuem a opção do começo no mês de maio.

Exigências para o estudo

Para um estudante internacional ser aceito em um college ou university canadense, ele precisa cumprir alguns pré-requisitos que são exigidos pelas instituições. Elencamos abaixo os mais comuns, que são pedidos por praticamente todos os cursos. Dependendo da pós-graduação, as exigências podem variar. Portanto, é indicado o contato, primeiramente, com a universidade ou college em questão. Confira:

  1. Possuir diploma de bacharelado, ou seja, pelo menos uma graduação concluída no Brasil ou outro país (para as escolhas de pós-graduação);
  2. Histórico da universidade cursada, contendo as notas obtidas pelo aluno e aprovação em todas as disciplinas;
  3. Nível de inglês (ou francês) compatível com o curso que deseja fazer, sendo comprovado por meio dos exames Celpip, TOEFL (algumas universidades aceitam o resultado deste teste para inscrição no curso, mas ele não é aceito para imigração), IELTS ou TEF, este último no caso do francês;
  4. Algumas instituições podem exigir um pré-teste e alguns outros documentos, que podem variar dependendo da escola escolhida e curso.

Se você ainda estiver em dúvida com relação ao programa e em qual curso se inscrever no país, entre em contato com a nossa parceira para uma consultoria educacional completa: 3RA Intercâmbio. Eles te auxiliam na escolha, inscrição, processo de pagamento e demais detalhes de todos os procedimentos relacionados ao estudo no país.

trabalhar no canada

*Clicando aqui você encontra toda a relação de universidades canadenses, em todas as províncias. Já este link reúne as opções de colleges. 

Trabalhar enquanto estuda

Com a aceitação em uma das instituições é hora de pegar a Letter of Acceptance (LOA), que é a carta fornecida pela escola quando o aluno está devidamente pré-matriculado em um curso e dar entrada no seu visto de estudos com permissão de trabalho. Têm direito a trabalhar 20 horas semanais (part-time) os estudantes internacionais de instituições post-secondary de cursos de nível superior, colleges e universidades, que frequentem especializações, bacharelado, entre outros programas. Esta oportunidade de receber um work permit inclui alunos dos cursos considerados vocacionais profissionalizantes, que têm matérias voltadas para a área técnica.

Os estudantes que possuem o direito à permissão de trabalho devem respeitar rigorosamente o máximo de 20 horas de trabalho semanais, conforme o seu work permit. A exceção é para os cursos que possuem férias e assim, neste período, é permitido trabalhar 40 horas por semana, enquanto não retornam para a sala de aula.

Para quem opta por aplicar para um visto de estudos com permissão de trabalho e pretende levar a família, a boa notícia é que o cônjuge tem direito de receber uma Open Work Permit (OWP), ou seja, um visto de trabalho em período integral, podendo trabalhar até 40h por semana. Para que ambos os vistos sejam aprovados, além da LOA, o aplicante precisa demonstrar ao oficial de imigração que não pretende ficar ilegalmente no país após o fim dos estudos, provar que possui fundos suficientes para bancar os gastos durante o período pretendido e arcar com o custo do curso escolhido, demonstrar histórico criminal do país onde vive e, por fim, passar pelos exames médicos.

Após o período de estudos

Todo o estudante internacional que completou com sucesso um curso em uma instituição de ensino superior canadense pública credenciada pelo governo local, terá a chance de permanecer e trabalhar no país com o Post Graduation Work Permit (PGWP). Ele nada mais é do que uma permissão de trabalho em tempo integral. Sua validade varia de um a três anos, dependendo da duração total do curso.

trabalhar no canada

É mandatório fazer a aplicação para o PGWP em até 90 dias após a conclusão do programa de estudos, ainda com o status de estudante válido. Caso contrário, perde-se o benefício e não é possível requisitar. Uma vez aprovado o PGWP do estudante internacional, o seu cônjuge pode fazer uma aplicação para ficar no país como acompanhante, como estudante ou turista. Para que o(a) companheiro(a) possa trabalhar, é necessário que o formado tenha um emprego “full time” e em um cargo dentro do National Occupational Classification, ou NOC, 0, A ou B (saiba mais sobre o que é o NOC clicando aqui).

*A imigração para o Canadá bateu recorde em 2018, saiba mais detalhes acessando este artigo. Após os estudos, as oportunidades de imigração aumentam. Entre em contato conosco que nossos especialistas podem te ajudar durante todo o processo. Mande um email para contact@immi-canada.com

 

 

 

Fabíola Cottet

Fazer uma pós-graduação no Canadá não faz somente com que você eleve seu nível educacional e tenha no currículo um diferencial de aperfeiçoamento em um dos melhores países do mundo, com os melhores programas educacionais, mas também abre portas para uma futura imigração, contando pontos a mais para o principal programa de imigração econômica federal, o Express Entry. Além disso, estudar em uma das províncias faz com que o mercado de trabalho o veja com outros olhos na busca de emprego e permite diversas oportunidades de imigração por processos provinciais e outras formas de obter a sonhada Permanent Resident (PR).

As instituições de ensino canadenses são reconhecidas mundialmente e apresentam cursos ótimos tanto na parte teórica, para quem pretende seguir uma carreira voltada à pesquisa ou ao mundo acadêmico, quanto na prática, mais direcionada ao mercado de trabalho. Antes de explicar como a pós-graduação pode ajudar na imigração, é necessário entender alguns conceitos e diferenças entre as nomenclaturas. Primeiramente, no Canadá assim como no Brasil, a pós é oferecida aos alunos que já possuem um diploma de bacharelado. Existem os certificados, que são especializações de curta duração e os diplomas, concedidos para quem opta por um programa de médio ou longo período.

*Se você pretende cursar uma pós-graduação no Canadá ou aplicar para um programa de imigração e precisa reconhecer seu diploma de bacharelado, clique aqui e saiba mais informações.

Colleges

Se a instituição escolhida for um college, provavelmente a opção do candidato é um curso de menor tempo e voltado ao mercado de trabalho. Eles também possuem alguns programas de média e longa duração, porém o foco é prático, resultando em diplomas e certificados para que profissionais atuem em áreas específicas. Os professores costumam ter uma vasta experiência profissional na área em que lecionam, além de um bom conhecimento do mercado.

Geralmente, nos colleges, os programas de estudo possuem duração de seis meses a dois anos, com opções de carga horária part-time ou full-time. Lembrando que na imensa maioria dos casos, se a intenção do aplicante for a futura imigração, a escolha deve ser pela opção de período integral. O ensino em meio período não conta pontos para alunos internacionais que aplicam para programas de imigração e também não dá direito a diversos benefícios como o Post Graduation Work Permit (PGWP).

pos graduacao no canada

Universidades

A university, na tradução para o inglês, costuma oferecer programas mais longos como bacharelados, mestrados e doutorados. O foco das instituições é mais voltado à pesquisa, teoria e ao caminho acadêmico, ao contrário dos colleges. Uma grande diferença com relação ao Brasil é que, no Canadá, na grande maioria dos casos o aluno é que monta sua própria grade de estudos e faz sua carga horária. São estas instituições que oferecem os programas de mestrado e doutorado e algumas também possuem cursos com menor duração, que oferecem um certificado de uma matéria específica.

*Saiba mais informações sobre os programas de mestrado e doutorado, incluindo bolsas de estudo, clicando neste link.

As universidades canadenses estão no ranking de melhores do mundo para estudar, sendo conhecidas como instituições de prestígio ao redor do globo. As aulas, tanto para os colleges como para as universidades, costumam iniciar em janeiro ou setembro, alguns ainda possuem a opção do começo no mês de maio.

*Caso você ainda esteja em dúvida em qual universidade e curso escolher e como fazer a sua matrícula, incluindo a solicitação de vistos, a nossa parceira no ramo educacional pode te ajudar. Contate a 3RA Intercâmbio clicando aqui.

pos-graduacao no canada

Critérios de elegibilidade

Para um estudante internacional ser aceito em um college ou university canadense, ele precisa cumprir alguns pré-requisitos que são exigidos pelas instituições. Elencamos abaixo os mais comuns, que são pedidos por praticamente todos os cursos da lista de Designated Learning Insitutions (DLI) (aceitas pelo governo canadense na hora de imigrar). Dependendo da pós-graduação, as exigências podem variar. Portanto é indicado o contato, primeiramente, com a universidade ou college em questão. Confira:

Vistos e imigração

Após a escolha da instituição e qual pós-graduação no Canadá, é momento de aplicar para os vistos. O aplicante principal, que opta por um curso em período integral, por mais de seis meses, em uma das DLI, deve solicitar o visto de estudo que dá direito a permissão de trabalho de até 20h semanais, part-time, durante o ano letivo e 40h por semana (trabalho full-time) no período de férias.

pos-graduacao no canada

Para ter este visto, além de ser aceito no college ou universidade, o estudante precisa demonstrar ao governo canadense que terá fundos suficientes para arcar com o estudo e sustento durante o período em que estiver no país (clique aqui para mais informações), apresentar histórico criminal de onde vive, completar a etapa dos exames médicos e, por fim, convencer o oficial de imigração que não deseja permanecer ilegalmente no país após o término do programa estudantil.

Caso a aplicação seja para família, o cônjuge do aplicante principal que vai estudar tem o direito de receber o Open Work Permit (OWP), que é a permissão de trabalho aberta em tempo integral e full-time, que geralmente tem validade pelo mesmo tempo do visto de estudos. É importante ressaltar que este OWP não é automático, é necessário realizar a aplicação.

Como já falamos por aqui, imigrar não é um processo simples e barato. Leva tempo, persistência, planejamento e requer uma reserva financeira (veja mais a respeito disso clicando aqui e também neste link). Porém, fazer uma pós-graduação no Canadá é um ganho que, além de enriquecer o currículo, pode ajudar muito no processo de obtenção de residência permanente.

Além do Express Entry (EE) dar pontos  extras para quem conclui um curso no país, as possibilidades de imigração de quem vai estudar nas terras do True North aumentam muito. O cônjuge do estudante pode conseguir um emprego e aplicar para o programa Canadian Experience Class, por exemplo, depois de um ano de trabalho.

 

 

*Este ano o governo canadense divulgou um número expressivo: estudantes são um terço dos imigrantes do país. Confira o artigo que escrevemos com mais detalhes clicando aqui.

Além disso, muitas das DLI dão a possibilidade de aplicação, após a conclusão dos estudos, ao Post Graduation Work Permit (PGWP), que é uma extensão de visto para poder trabalhar no Canadá que, dependendo de algumas condições, pode ser também aplicada ao cônjuge do aplicante principal. Ainda existem os processos provinciais. Todos eles estabelecem algum benefício ou fluxo de imigração para quem conluiu um programa de estudos na região.

pos graduacao no canada

Por fim, várias são as portas de entrada para a tão sonhada residência permanente canadense. Nós, da Immi Canada, possuímos uma equipe de profissionais especialistas em imigração que podem dizer qual é a melhor maneira da sua família atingir os objetivos com base no perfil de cada um, traçando o caminho e também prestando assessoria em todo o processo. Acesse www.immi-canada.com/consultoria-de-imigracao-para-canada/ ou entre em contato pelo email contact@immi-canada.com.

Fabíola Cottet

A University of Toronto (UofT) começou, neste outono, a cobrar muito menos dos estudantes internacionais de doutorado ou PhD. A instituição anunciou que iria instituir o mesmo valor que os canadenses pagam para estudar, aos estudantes internacionais. Porém a notícia vale apenas para os alunos de doutorado da maior parte dos programas ofertados.

Antes o preço pago por um aluno brasileiro, por exemplo, que cursava um programa de doutorado na universidade, era de cerca de CAD$ 21 mil por ano. Hoje, com esta redução para a maioria das áreas, o mesmo curso fica por um valor de cerca de CAD$ 7 mil, que é o que os canadenses também desembolsam anualmente para cursar um doutorado.

O jornal canadense The Star classificou a medida como uma iniciativa rara para que os acadêmicos do mundo todo sejam atraídos para a instituição. O reitor responsável pela parte de pós-graduação da UofT, Joshua Barker, disse que a equipe da universidade está sempre procurando maneiras de atrair os melhores talentos em pesquisa. “Temos diversos esforços para trazer mais pesquisadores internacionais a universidade, e esta atitude é uma grande iniciativa”, ressaltou.

*Se você quer saber mais informações sobre como estudar no Canadá, clique aqui.

As novas regras valem tanto para os novos inscritos quanto para os que cursam algum doutorado na UofT. O benefício afeta apenas, na prática, os anos subsequentes aos quatro primeiros anos de estudos, para os programas que possuem longa duração. A explicação para isso é que os quatro primeiros anos são custeados por bolsas, sem distinção entre alunos canadenses e internacionais.

doutorado

“Nós estamos nos esforçando para remover qualquer barreira, financeira ou de outra natureza, que os estudantes internacionais possam ter ao querer ingressar em nossa instituição”, declarou Barker. Ele explica que a medida não vale para alunos de mestrado que pretendem ingressar em um futuro programa de PhD (doutorado). Explicando melhor, a universidade possui alguns mestrados que são dedicados e portas de entrada para os doutorados. O corte de custos só vale quando o estudante estiver aprovado e inscrito no programa de doutorado. Além disso, para os doutorados em educação e artes musicais, o fee a ser pago pelos alunos será determinado pelos setores responsáveis através do processo de planejamento orçamentário anual.

*Para saber mais sobre bolsas para mestrado e doutorado nas terras do True North basta acessar este link.

Segundo levantamento da UofT, no ano letivo 2017-2018, 1.179 estudantes, do total de 6.145 alunos que estavam regularmente cursando um PhD, eram internacionais. Isso resulta em quase 20% dos doutorandos, sendo que, historicamente, metade deles ou mais acaba ficando no Canadá após a conclusão de seus estudos. Para Barker, a medida beneficia e traz alívio aos que estão no programa e, além disso, terá um impacto de longo prazo na capacidade da instituição de recrutar e reter os talentos de outros países.

A atitude acontece em um momento que diversas universidades, ao redor de todo o país, estão utilizando a receita gerada pelos estudantes internacionais para impulsionar o orçamento. Os valores cobrados para um aluno que nasceu no Canadá, ou adquiriu a residência permanente, são controlados pelo governo federal, na maioria dos cursos. Porém, a tarifa anual dos estudantes internacionais fica a critério da instituição e, de maneira geral, é cerca de três vezes mais cara do que a de um aluno doméstico.

doutorado

Por fim, Barker ressalta o brilhantismo dos doutorandos da UofT. “Nossos alunos internacionais de doutorado têm um impacto tremendamente positivo na instituição. Eles trazem novas perspectivas para a pesquisa e são instrumentos importantes na construção de uma rede global que beneficia os graduados muito além do tempo que ficam aqui na universidade. Os doutorandos que finalizaram o programa aqui, hoje estão empregados em 97 diferentes países do mundo”, finalizou.

Fabíola Cottet

As opções para quem deseja estudar no país são muitas. Aos que querem cursar um doutorado ou mestrado no Canadá a variedade também é grande. O primeiro passo para este caminho é o domínio do idioma. Após escolher a cidade, a universidade e o curso, você deve se certificar se a instituição exige somente o inglês, o francês ou ambos e qual a nota mínima nos testes de proficiência para ser incluído no programa.

O segundo ponto são as notas na graduação, na pós graduação e, para o caso de doutorado, o desempenho no mestrado. Todo o currículo e histórico do aluno é avaliado. Ainda com relação às notas, as universidades vão solicitar que as mesmas estejam no formato aceito pelo Canadá, que é o Grade Point Average (GPA), que vai de zero a quatro pontos. Para saber como calcular e converter, clique aqui.

Todos os documentos vão precisar ser enviados em inglês ou traduzidos de maneira juramentada. Alguns mestrados ou doutorados ainda exigem provas de admissão, que são obrigatórias para administração, direito e medicina. Nas outras áreas varia de acordo com cada instituição de ensino. Os testes costumam ser feitos no computador e o candidato ainda pode estar no Brasil para realiza-los.

mestrado no canada

*Para saber mais sobre bolsas de estudo no Canadá clique aqui.

Ainda são exigidas as cartas de recomendação, feitas pelos professores do estudante. Elas são protocolares e únicas, então o candidato deve enviar o email do professor para a universidade no Canadá, que é quem costuma fazer contato com o docente e envia todo o processo online necessário para a recomendação. Existe também uma declaração pessoal, que é uma espécie de carta de intenção, onde o candidato explica o motivo de ter escolhido determinada universidade, o projeto da sua pesquisa, como está qualificado para isso, quais trabalhos ou artigos já escreveu sobre o assunto, quais são os professores da universidade canadense que irão apoiá-lo, etc.

Por fim, a instituição canadense exige um exemplo de trabalho escrito e documentos como diplomas, certificados e históricos. Um detalhe importante é que os valores de mestrados e doutorados no país variam muito de acordo com a universidade e com a especialidade. Um mestrado em arquitetura, planejamento urbano ou design, custa cerca de $11 mil dólares canadenses (CAD) por ano, o preço para finanças fica em torno de $30 mil CAD pelo mesmo período e em odontologia pediátrica, por exemplo, o valor fica próximo dos $54 mil CAD anuais.

*O site www.estudarfora.org.br tem diversas matérias sobre estudar fora do Brasil, com materiais gratuitos para a preparação acadêmica exigida. Na página Estudos de Doutorado o candidato pode acessar uma lista com todas as universidades que fornecem o programa do Canadá, além de exigências de cada uma delas.

Bolsa de estudos

Além dos caminhos citados acima, alguns estudantes entram em contato diretamente com um docente em sua área de atuação, para verificar alguma possível vaga em um projeto de pesquisa. Este procedimento também pode render bons frutos. Além disso, na área de bolsa de estudos para doutorado e mestrado no Canadá, o país costuma abrir vagas para inscrições no segundo bimestre do ano (clique aqui e saiba das ofertas deste ano), que são ofertadas aos interessados em embarcar entre junho do ano vigente e fevereiro do próximo.

mestrado no canada

O país também disponibiliza outras oportunidades de bolsas. Elas são baseados em mérito acadêmico em sua maioria (este site possui uma extensa lista com todas as possibilidades de ajuda nos estudos). Elencamos alguns exemplos abaixo:

- Vanier Canada Graduated Scolarship: oferece CAD$ 50 mil por ano para alunos internacionais altamente qualificados nas áreas de ciências sociais ou humanas, ciências naturais e engenharia da saúde;

- The University of British Columbia Four Year Doctoral Fellowship: oferece ao menos CAD$ 18,2 mil por ano e mais todos os custos relacionados ao curso para estudantes notáveis, durante os quatro anos de curso;

- Pierre Elliott Trudeau Foundation Doctoral Scholarship: este programa oferece CAD$ 40 mil anuais para estudantes canadenses e internacionais, sendo que os últimos devem ser, preferencialmente, de países em desenvolvimento. Para aplicar o aluno precisa ser nomeado pela instituição.

Imigração e trabalho

Sim, os alunos que cursam doutorado ou mestrado no Canadá podem trabalhar durante o período de estudos por até 20h semanais, ganhando, juntamente com o visto para estudos, o work permit part-time. Caso vá com o cônjuge, o mesmo recebe o Open Work Permit, que lhe permite trabalhar por período integral. Durante o período de férias das universidades o aluno também pode trabalhar em período integral. Alguns cursos específicos de PhD não permitem as 20h, mas somente 10h semanais, principalmente se o estudante estiver recebendo bolsa.

O mestrado, doutorado ou ainda o pós-doutorado é uma porta de entrada para a imigração canadense. Além de conceder o Post Graduation Work Permit (PGWP – saiba mais detalhes sobre este tipo de visto clicando aqui), em muitas províncias o aluno tem benefícios e vantagens na hora de aplicar para um Provincial Nominee Program (PNP), além de estar  preparado para ingressar no mundo acadêmico, de pesquisa ou no mercado de trabalho do país.

mestrado no canada

Se você não sabe como escolher seu curso, a nossa parceira na área de estudos no Canadá pode te ajudar: a 3RA Intercâmbio.  Para verificar sua possibilidades de imigração e vistos, entre em contato com os nossos consultores de imigração e marque uma consulta que iremos traçar um caminho com base no seu perfil. Acesse www.immi-canada.com/consulta/ ou mande um email para contact@immi-canada.com.

Fabíola Cottet

Segundop o Consulado-Geral do Canadá no Brasil, a quantidade de vistos de residência permanente (ou Permanent Resident – PR) emitidas este ano bateu um recorde: o país deu 2.800 documentos a brasileiros entre janeiro e agosto (2018).

Para se ter uma ideia, em 2015 o número total de PRs emitidas durante os 12 meses do ano foi de 1.750. Esta quantidade se manteve estável no ano seguinte, 2016, com 1.730 residências dadas a brasileiros que foram morar nas terras do True North. Já no ano passado, o número cresceu 62% em relação ao período anterior, quando 2.760 permissões foram concedidas. Em 2018, mesmo que o ano ainda não tenha terminado, o número de 2.800 PRs já é recorde e a contagem continua, pois o balanço foi somente até agosto. Segundo o Consulado, se a média for considerada, as residências permanentes emitidas a brasileiros podem chegar a cerca de quatro mil ao fim do ano.

Muitos destes brasileiros que conseguiram o tão sonhado cartão de residente no Canadá trilharam o caminho de estudar no país. Prova disso é que a quantidade de vistos de estudo liberados os nascidos no Brasil também aumentou com o passar dos anos. Em 2015 foram 5.370 permissões de estudo. Já em 2016 a quantidade aumentou para 5.962 cidadãos brasileiros que foram estudar por mais de seis meses nas mais diversas localidades canadenses. No ano passado, o número saltou para 6.887 vistos de estudo concedidos pelo Canadá aos  brasileiros, representando um crescimento de 16% em relação ao ano anterior.

O setor de serviços e imigração do Consulado-Geral atribui este aumento a vontade que os brasileiros possuem de morar no Canadá, além do acesso a informação sobre o sistema de imigração que mais leva novos imigrantes ao país: o Express Entry. O país, baseado em seu plano de imigração plurianual, divulgado no ano passado (clique aqui para saber mais detalhes), quer aumentar o número de imigrantes que chegam para viver em seu território. Nos últimos anos esta quantidade tem sido de cerca de 280 mil residências para as mais diversas nacionalidades do mundo todo. Neste ano, a expectativa é que sejam 310 mil novos imigrantes, incluindo diversos brasileiros.

residencia permanente

*Saiba como imigrar para o Canadá por meio do Express Entry clicando aqui, acessando este link e também lendo o artigo “Express Entry: tudo o que você precisa saber para imigrar”.

Motivos

O que faz com que tantos brasileiros queiram morar e se estabelecer no Canadá? São vários os motivos, mas principalmente a busca por uma melhor qualidade de vida, com mais segurança e melhores oportunidades de estudo e trabalho. Aliado a isto, devemos citar também a crescente crise econômica e política pela qual o Brasil está passando.

*Quando falamos em oportunidades de trabalho, as terras do True North possuem várias e uma baixa taxa de desemprego. Clique aqui e saiba mais.

Além disso, uma pesquisa divulgada pela World of Learning, revelou que 95% dos estudantes internacionais recomendam o Canadá como destino. Dos que estão dentro das fornteiras do país, 51% pretendem aplicar para o processo de residência permanente assim que concluírem seus cursos.

residencia permanente

*Veja 10 bons motivos para morar no Canadá clicando aqui

Com relação a segurança, obviamente que existe violência no país. Porém, em 2016, o Canadá registrou apenas 611 homicídios durante os 12 meses, sendo 1,68 crimes deste tipo por 100 mil habitantes. Comparado ao Brasil, em 2015, o número é absurdo: 59.080 homicídios, o que dá 28,9 mortes a cada 100 mil pessoas. Só por estes dados já podemos ter uma ideia de que a insegurança diária das terras brasileiras não está presente em solo canadense. A força policial do país está sempre alerta, se tornando eficiente para ajudar o cidadão de bem.

Quando falamos em mercado de trabalho, para todos os níveis educacionais, o Canadá oferece oportunidades de emprego com salários competitivos e justos. Para se ter uma ideia, a taxa de desemprego, de acordo com o último relatório divulgado em abril deste ano, manteve recorde positivo. O número ficou me 5,8%, sendo o menor nível registrado desde 1976, segundo dados do Statistics Canada. Já no Brasil, no mesmo período de 2018, o desemprego foi a 13,1%, resultando em 13,7 milhões de brasileiros sem trabalho, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Em crescimento econômico constante, precisando de mão de obra para as mais diversas ocupações e com uma inflação que não passa dos 2%. Este é o cenário da economia canadense. Os juros são baixos e controlados pelo sistema conhecido como inflation targeting, implantado em 1990, que permite aos cidadãos ter estabilidade financeira. Segundo dados do Statistics Canada, em 2016 a economia canadense cresceu 1,4%, sendo a décima maior do mundo, de acordo com o seu Produto Interno Bruto (PIB). E ainda pela pesquisa do Fórum Econômico Mundial, o país ocupa o 12º lugar no ranking de competitividade.

residencia permanente

Além de possuir diversos programas de adaptação para imigrantes, o país precisa de mão de obra, devido ao envelhecimento da população e ao seu constante crescimento econômico ao longo dos anos. Por isso eles possuem processos e inclusão para recém-chegados que vão desde ajuda com o idioma até palestras gratuitas sobre como conseguir emprego.

Nós já escrevemos sobre isto várias vezes, porém o argumento prova o que escrevemos acima: o Canadá possui mais de 50 diferentes processos de imigração. Muito se fala a respeito do Express Entry, mas as maneiras de imigrar não param por aí. Por isso é sempre adequado fazer uma consulta de imigração com um consultor especialista no assunto, que além de esclarecer suas dúvidas, vai analisar seu perfil e indicar o melhor caminho. A Immi Canadá oferece a consulta e também auxilia em todo o processo de imigração. Acesse www.immi-canada.com/consultoria-de-imigracao-para-canada/ ou mande um email para contact@immi-canada.com.

*Clique aqui https://www.immi-canada.com/canada-quarto-pais-melhor-imigrantes/ e confira mais dados a respeito da aceitação de imigrantes no país.

Fabíola Cottet

Existem diversas maneiras de entrar no Canadá legalmente e isso causa uma certa confusão no início do caminho, quando ainda não esclarecemos estas dúvidas. Devo pedir um visto de turismo para estudar inglês por três meses? Qual é o visto que meu cônjuge terá se eu for estudar por um ano? Quanto tempo posso permanecer como turista? Estes questionamentos são muito comuns e, pensando nisso, fizemos este artigo para esclarecer qual é o tipo de visto para o Canadá ideal para você.

Primeiramente o seu objetivo deve estar bem definido para então iniciar o processo de pedido: eTA, visto de turista, visto de estudos, visto para trabalho, ou residência permanente. De maneira geral, podemos dizer que existem dois tipos de visto: o temporary visa e o permanent visa. Este último concede o direito de imigrar, dando o cartão de Permanent Resident (PR) ao contemplado.

Agrupamos as informações conceituais e práticas sobre as diferenças de cada visto neste artigo. Lembrando que os conhecimentos transmitidos são válidos para quase todo o território canadense, com exceção da província de Quebec, que possui regras diferenciadas e únicas para imigração, incluindo a língua francesa como requisito.

*Para saber mais sobre imigração na província de Quebec, clique aqui e acesse este link.

Antes iniciarmos, é importante ressaltar que visto americano e canadense são diferentes. Pode ser algo óbvio, mas esta pergunta ainda é uma dúvida para muita gente. Você não consegue entrar nos Estados Unidos (EUA) tendo somente o visto canadense. Porém, você pode ter acesso ao Canadá tendo somente o visto norte-americano, mas terá, ainda assim, que solicitar a eTA, uma autorização eletrônica de viagem que abordaremos a seguir. Além disso, apenas cidadãos canadenses, ou seja, portadores do passaporte do país, não necessitam de visto para viajar aos EUA. Qualquer imigrante, ainda que possua o cartão de Permanent Resident no Canadá, terá de solicitar o visto caso queira ir aos EUA.

visto para o canada

Uma outra diferença marcante entre os vistos é que o americano de turista tem validade de 10 anos, independentemente da data de expiração do passaporte. É permitido entrar com o documento de viagem vencido e o visto válido, juntamente com o novo passaporte dentro do prazo de validade, desde que o viajante apresente os dois ao oficial de imigração. Já quando falamos da terra do True North, ele é limitado à validade do passaporte, ou seja, caso o seu passaporte vença, você precisará solicitar outro visto.

Eletronic Travel Authorization (eTA)

Como o próprio nome já diz, a eTA nada mais é do que uma autorização eletrônica de viagem. Os brasileiros elegíveis são aqueles que possuem um visto norte americano válido ou um canadense aprovado nos últimos 10 anos. Para aqueles que têm a cidadania europeia, o Canadá libera o eTA sem restrições de elegibilidade.

Para obtê-lo basta acessar o site abaixo, preencher um formulário com a autorização e solicitação de dados, pagar uma pequena taxa pelo cartão de crédito no valor de CAD $7 e aguardar o email chegar no endereço eletrônico cadastrado, o que acontece em média 48h após a aplicação (veja aqui mais dicas sobre o processo). Com o eTA, o viajante só pode entrar no país por via aérea e ele é válido por cinco anos ou até o vencimento do passaporte, o que ocorrer primeiro.

Para mais informações e aplicação, acesse o link: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/visit-canada/eta.html.

Visto de visitante

Caso você não se enquadre nas exigências para solicitar o eTA, terá que pedir o visto para o Canadá de visitante, também conhecido como visto de turismo. Ele é o Visitor-1 (V-1) e concede múltiplas entradas ao portador, permitindo a estadia no país por até seis meses consecutivos, porém não dá direito a trabalho e estudo (exceto para cursos de até 24 semanas). No momento, o tempo médio para processamento está em 12 dias, porém ele pode variar de acordo com o número de solicitações e demanda dos oficiais de imigração (clique aqui para verificar o tempo de processamento atualizado para cada tipo de visto).

A aplicação pode ser feita online e em papel e o solicitante consegue mais informações sobre as etapas do processo e documentos no link oficial do departamento de imigração, colocado abaixo. A validade do visto é variável de acordo com a data do passaporte, podendo chegar a até 10 anos (o oficial de imigração também pode restringir este período, tanto o de validade quanto o de permanência, de acordo com regras e impressões de cada pacote de aplicação). Caso o aplicante queira permanecer por um período superior a seis meses, pode solicitar uma extensão do visto de turista, que será avaliada e respondida pelo oficial de imigração.

Para mais informações e aplicação, acesse o link: www.cic.gc.ca/english/information/applications/visa.

Visto de estudante

É uma permissão de entrada e permanência no Canadá, para que o requisitante fique no país durante o período de estudo. Basicamente existem dois tipos: o S-1 e o SW-1. A definição de qual deles pedir começa com a escolha do curso. O primeiro, chamado de S-1, é concedido quando não há o requisito de estágio obrigatório para concluir o curso. Já o SW-1 é dado quando existe essa exigência, sendo estes cursos chamados de Co-Op.

visto para o canada

De maneira geral, para que um estrangeiro estude no Canadá e possa aplicar para o visto de estudante, ele precisa primeiro escolher uma instituição de ensino entre as Designated Learning Institutions (clique aqui e acesse a lista). Após passar pelas etapas de seleção da escola, college ou university, o futuro estudante recebe uma Letter of Acceptance (LOA) da instituição, que é um requisito obrigatório para aplicar para o visto. O pedido também pode ser feito online ou via postal, sendo que a média de tempo de processamento é de sete semanas, também podendo variar. A permissão de estudos e trabalho (caso seja aplicável), é concedida na ocasião de entrada no país. A duração do visto é variável de acordo com o tempo de estudos. Porém, na maioria dos casos, ela vale por todo o curso mais 90 dias, que dá ao candidato tempo suficiente para renovar ou solicitar outros documentos caso queira estender a estadia.

Uma dúvida que sempre acomete quem vai estudar em terras canadenses é a questão de trabalhar enquanto faz seu curso. Estudantes brasileiros de inglês ou em programas de pathway não podem trabalhar, nem seus cônjuges. Já para quem escolhe um curso full-time em um college, universidade, pós, mestrado ou doutorado, em uma das instituições da lista, tem direito a trabalhar por 20 horas semanais, sendo que o cônjuge recebe uma permissão de trabalho em período integral (clique aqui e veja mais detalhes sobre o visto de estudo).

Para mais informações, acesse o link: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/study-canada.

Visto de trabalho

Ele é conhecido como W-1 e permite o trabalho no país. A documentação necessária é variável, dependendo do processo escolhido. Porém aqui é importante frisar que na imensa maioria dos casos é necessário possuir uma oferta de trabalho ou ser patrocinado por uma empresa, já instalada no país, para ser bem sucedido em um programa de visto para o Canadá com o intuito trabalhar em solo canadense.

Existem várias opções nesta categoria e o tempo para emissão varia bastante. Entre eles podemos citar o mais comum dentre os brasileiros, o visto de trabalho como accompanying spouse de um full-time post secondaty student. Ele é o Open Work Permit concedido aos cônjuges de estudantes estrangeiros e facilita muito a estadia das famílias, principalmente durante o período de estudo.

Além dele, temos o visto de trabalho dado ao cônjuge de um trabalhador com uma oferta de emprego qualificado no Canadá; visto de trabalho com patrocínio que é obtido através da LMIA (clique aqui e saiba mais detalhes sobre este tipo de visto); permissão de trabalho com o suporte do empregador, que é obtido através da província, com o suporte de um empregador do local; visto de trabalho de transferência de países, quando o funcionário é expatriado e transferido para o Canadá para trabalhar em empresas do mesmo grupo ou filiais; Post-Graduation Work Permit (PGWP), que é obtido após o término de uma graduação em uma instituição de ensino elegível.

Para mais informações, acesse o link: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/work

Residência Permanente

O Permanent Resident (PR) é um dos objetivos mais almejados entre os brasileiros que buscam uma melhor qualidade de vida no Canadá. Um residente permanente é alguém que tenha recebido um status que possibilita com que viva no Canadá sem a necessidade de nenhum tipo de visto, porém o portador ainda não é considerado um cidadão, sendo cidadão do seu país de origem. Após um tempo com o cartão de PR e cumprindo algumas exigências, o morador pode dar entrada no seu pedido de cidadania (veja mais detalhes aqui).

visto para o canada

Existem diversas maneiras de obter o PR. Pode ser por um dos processos provinciais, pelo programa federal Express Entry, pelo programa específico de Quebec, por meio do Self-Employed, etc. Por isso sempre frisamos que o auxílio e acompanhamento de um profissional especializado em imigração é essencial. Nós, da Immi Canadá, traçamos um caminho para cada perfil e família, aconselhando e mostrando o melhor meio de atingir o objetivo, de acordo com as necessidades de cada um. Além disso, também prestamos assessoria durante todo o processo, minimizando o risco de negativas de vistos e atrasos por erros no pacote de documentos ou etapas do programa. Para mais informações acesse www.immi-canada.com/consultoria-de-imigracao-para-canada/ ou mande um email para contact@immi-canada.com.

Para mais informações e aplicação, acesse o link: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/immigrate.   

*Saiba mais sobre como se tornar um residente permanente clicando aqui.

Fabíola Cottet

Existem diversas maneiras de entrar no Canadá legalmente e isso causa uma certa confusão no início do caminho, quando ainda não esclarecemos estas dúvidas. Primeiramente o seu objetivo deve estar bem definido para então iniciar o processo de pedido: eTA, visto de turista, visto de estudos, visto para trabalho, ou residência permanente. De maneira geral, podemos dizer que existem dois tipos de visto: o temporary visa e o permanent visa. Este último concede o direito de imigrar, dando o cartão de Permanent Resident (PR) ao contemplado.

Pensando nas várias maneiras de ir para o Canadá, agrupamos as informações conceituais e práticas sobre as diferenças de cada visto neste artigo. Lembrando que as informações transmitidas são válidas para quase todo o território canadense, com exceção da província de Quebec, que possui regras diferenciadas e únicas para imigração, incluindo a língua francesa como requisito.

*Para saber mais sobre imigração na província de Quebec, clique aqui e acesse este link.

Antes de esclarecermos a questão dos diferentes tipos de vistos, é importante ressaltar que visto americano e canadense são diferentes. Você não consegue entrar nos Estados Unidos (EUA) tendo somente o visto canadense. Porém, você pode ter acesso ao Canadá tendo somente o visto norte-americano, mas terá, ainda assim, que solicitar a eTA, uma autorização eletrônica de viagem que abordaremos adiante. Além disso, apenas cidadãos canadenses, ou seja, portadores do passaporte do país, não necessitam de visto para viajar aos EUA. Qualquer imigrante, ainda que possua o cartão de Permanent Resident no Canadá, terá de solicitar o visto caso queira ir aos EUA.

Uma outra diferença marcante entre os tipos de vistos é que o americano de turista tem validade de 10 anos, independentemente da data de expiração do passaporte. É permitido entrar com o documento de viagem vencido e o visto válido, juntamente com o novo passaporte dentro do prazo de validade, desde que o viajante apresente os dois documentos. Já quando falamos da terra do True North, ele é limitado à validade do passaporte, ou seja, caso o seu passaporte vença, você precisará solicitar outro visto.

Eletronic Travel Authorization (eTA)

Como o próprio nome já diz, a eTA nada mais é do que uma autorização eletrônica de viagem. Os brasileiros elegíveis são aqueles que possuem um visto norte americano válido ou possuem um visto canadense aprovado nos últimos 10 anos. Para aqueles que têm a cidadania europeia, o Canadá libera o eTA sem restrições de elegibilidade.

vistos canada

Para obtê-lo basta acessar o site abaixo, preencher um formulário com a autorização e solicitação de dados, pagar uma pequena taxa pelo cartão de crédito no valor de CAD $7 e aguardar o email chegar no endereço eletrônico cadastrado, o que acontece em média 48h após a aplicação (veja aqui mais dicas sobre o processo). Com o eTA, o viajante só pode entrar no país por via aérea e ele é válido por cinco anos ou até o vencimento do passaporte, o que ocorrer primeiro.

Para mais informações e aplicação, acesse o link: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/visit-canada/eta.html.

Visto de visitante

Caso você não se enquadre nas exigências para solicitar o eTA, terá que pedir o visto de visitante, também conhecido como visto de turismo. Ele é o Visitor-1 (V-1) e concede múltiplas entradas ao portador, permitindo a estadia no país por até seis meses consecutivos, porém não dá direito a trabalho e estudo (exceto para cursos de até 24 semanas). No momento, o tempo médio para processamento está em 13 dias, porém ele pode variar de acordo com o número de solicitações e demanda dos oficiais de imigração (clique aqui para verificar o tempo de processamento atualizado para cada tipo de visto).

A aplicação pode ser feita online e em papel e o solicitante pode ter mais informações sobre as etapas do processo e documentos no link oficial do departamento de imigração, colocado abaixo. A validade do visto é variável de acordo com a data do passaporte, podendo chegar a até 10 anos (o oficial de imigração também pode restringir este período, tanto o de validade quanto o de permanência, de acordo com regras e impressões de cada pacote de aplicação). Caso o aplicante queira permanecer por um período superior a seis meses, pode solicitar uma extensão do visto de turista.

Para mais informações e aplicação, acesse o link: www.cic.gc.ca/english/information/applications/visa.

Visto de estudante

É uma permissão de entrada e permanência no Canadá, durante o período de estudo. Basicamente existem dois tipos: o S-1 e o SW-1. A definição de qual deles pedir começa com a escolha do curso por parte do aplicante. O primeiro, chamado de S-1, é concedido quando não há o requisito de estágio obrigatório para concluir o curso. Já o SW-1 é dado quando existe essa exigência, sendo os cursos chamados de Co-Op.

vistos canada

De maneira geral, para que um estrangeiro estude no Canadá e possa aplicar para o visto de estudante, ele precisa primeiro escolher uma instituição de ensino entre as Designated Learning Institutions (clique aqui e acesse a lista). Após passar pelas etapas de seleção da escola, college ou university, o futuro estudante recebe uma Letter of Acceptance (LOA) da instituição, que é um requisito obrigatório para aplicar para o visto. O pedido também pode ser feito online ou via postal, sendo que a média de tempo de processamento é de sete semanas, também podendo variar. A permissão de estudos e trabalho (caso seja aplicável), é concedida na ocasião de entrada no país. A duração do visto é variável de acordo com o tempo de estudos, geralmente ela vale por todo o curso mais 90 dias, que dá ao candidato tempo suficiente para renovar ou solicitar outros documentos caso queira estender a estadia.

Uma dúvida que sempre acomete quem vai estudar em terras canadenses é a questão de trabalhar enquanto faz seu curso. Estudantes brasileiros de inglês ou em programas de pathway não podem trabalhar durante o curso, nem seus cônjuges. Já para quem escolhe um curso full-time em um college, universidade, pós, mestrado ou doutorado, em uma das instituições da lista, tem direito a trabalhar por 20 horas semanais, sendo que o cônjuge do recebe uma permissão de trabalho em período integral (clique aqui e veja mais detalhes sobre o visto de estudo).

Para mais informações, acesse o link: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/study-canada/study-permit/apply.html.

Visto de trabalho

Ele é conhecido como W-1 e permite o trabalho no país. A documentação necessária é variável, dependendo do processo escolhido. Porém aqui é importante frisar que na imensa maioria dos casos é necessário possuir uma oferta de trabalho ou ser patrocinado por uma empresa, já instalada no Canadá, para ser bem sucedido em um programa de visto para trabalhar em solo canadense.

Existem vários tipos de visto de trabalho, o tempo para emissão deles também varia bastante. Entre eles podemos citar o mais comum dentre os brasileiros, o visto de trabalho como accompanying spouse de um full-time post secondaty student. Ele é o Open Work Permit concedido aos cônjuges de estudantes estrangeiros e facilita muito a estadia das famílias, principalmente durante o período de estudo.

Além dele, temos o visto de trabalho dado ao cônjuge de um trabalhador com uma oferta de emprego qualificado no Canadá; visto de trabalho com patrocínio que é obtido através da LMIA (clique aqui e saiba mais detalhes sobre este tipo de visto); permissão de trabalho com o suporte do empregador, que é obtido através da província, com o suporte de um empregador do local; visto de trabalho de transferência de países, quando o funcionário é expatriado e transferido para o Canadá para trabalhar em empresas do mesmo grupo ou filiais; Post-Graduation Work Permit (PGWP), que é obtido após o término de uma graduação em uma instituição de ensino elegível.

Para mais informações, acesse o link: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/work-canada.html

Residência Permanente

O Permanent Resident (PR) é um dos objetivos mais almejados entre os brasileiros que buscam uma melhor qualidade de vida no Canadá. Um residente permanente é alguém que tenha recebido um status que possibilita com que viva no Canadá sem a necessidade de nenhum tipo de visto, porém o portador ainda não é considerado um cidadão, sendo cidadão do seu país de origem. Após um tempo com o cartão de PR e cumprindo algumas exigências, o morador pode dar entrada no seu pedido de cidadania (veja mais detalhes aqui).

vistos canada

Existem diversas maneiras de obter o PR. Pode ser por um dos processos provinciais, pelo programa federal Express Entry, pelo programa específico de Quebec, por meio do Self-Employed, etc. Por isso sempre frisamos que o auxílio e acompanhamento de um profissional especializado em imigração é essencial. Nós, da Immi Canadá, traçamos um caminho para cada perfil e família, aconselhando e mostrando o melhor meio de atingir o objetivo, de acordo com as necessidades de cada um. Além disso, também prestamos assessoria durante todo o processo, minimizando o risco de negativas de vistos e atrasos por erros no pacote de documentos ou etapas do programa. Para mais informações acesse www.immi-canada.com/consultoria-de-imigracao-para-canada/ ou mande um email para contact@immi-canada.com.

Para mais informações e aplicação, acesse o link: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/immigrate-canada.html.   

*Saiba mais sobre como se tornar um residente permanente clicando aqui www.immi-canada.com/como-ser-um-residente-permanente-no-canada/.

Fabíola Cottet

A Immi Canada, em parceria com a 3RA Intercâmbio, está trazendo para o Brasil um tour de palestras, workshops e feiras com instituições de ensino canadenses, para falar sobre tudo a respeito de imigração e estudo no Canadá. Os eventos vão acontecer em diversas cidades: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Natal (RN) e Fortaleza (CE). O governo canadense divulgou, no final do ano passado, os números e objetivos relacionados à imigração para os próximos três anos e os dados são animadores: eles pretendem aumentar a quantidade de imigrantes para cerca de 340 mil por ano até 2020, o que nos leva à quantia de um milhão de novos moradores para os anos seguintes.

A previsão para 2018 é de 310 mil imigrantes, enquanto em 2019 o número aumentará para 330 mil, chegando à meta de 340 mil em 2020. Além disso, diversos requerimentos do governo canadense, incluindo os vários processos de imigração provinciais, no que diz respeito a imigração e estudo no país, estão em constante mudança e atualização. Pensando nestes dados, nos novos processos e no aumento do número de brasileiros que buscam uma melhor qualidade de vida no Canadá, os eventos serão realizados durante dois dias em São Paulo e Rio de Janeiro e um dia para Natal e Fortaleza.

Nas quatro cidades acontecerá uma palestra sobre estudo e imigração para terras canadenses, que será presidida pela consultora de imigração Juliana Miguez, gerente da sede da Immi Canada em Vancouver e, por Francisco Zarro, diretor educacional da 3RA Intercâmbio. Além disso, as mais renomadas instituições estarão realizando workshops e feiras durante os dias de evento (veja a programação completa abaixo, pois ela muda de acordo com a cidade, e quais instituições estarão presentes em cada região). Humber College, Douglas College, Greystone College, Niagara College Canada, Langara College, Inlingua Vancouver, George Brown College, Centennial College, Seneca College, VGC International College, ILSC Education Group e Quest Language Studies são as escolas de idiomas e faculdades que estão confirmadas no evento.

estudo no canada

Os palestrantes Juliana e Francisco vão abordar, durante 3h com espaço para perguntas dos espectadores, diversos aspectos da imigração e do estudo no Canadá. “Falaremos sobre o Express Entry e suas particularidades, mitos e verdades sobre a imigração canadense, visto de estudo, processos provinciais, como funcionam os processos que dão um visto para trabalho no país, sistema educacional e como ingressar em uma instituição, programa de estudo e trabalho, como fazer um college pode contribuir para o processo de imigração, dentre muitos outros temas”, conta a profissional da Immi Canada.

O especialista em estudo no Canadá fala sobre a importância dos eventos. “Estamos realizando o tour em diversas cidades e trataremos de temas importantíssimos para quem quer estudar ou imigrar para o Canadá. Quem for poderá tirar dúvidas com as melhores instituições canadenses de ensino presentes e acompanhar um seminário exclusivo com as escolas”, ressalta Zarro. Os interessados podem adquirir seus ingressos para participar separadamente de cada evento (confira aqui a programação completa).

As feiras com as escolas são ótimas oportunidades para visitar os stands de cada uma e ter contato pessoalmente com seu representante, que dará informações sobre maneiras de ingresso, valores, vantagens e opções de cursos para estudantes internacionais. Além disso, os colleges e escolas de idiomas irão realizar workshops que duram cerca de 30 a 40 minutos para cada uma, falando sobre estrutura, benefícios dos alunos estrangeiros, programas disponíveis, dentre muitas outras informações.

A palestra “Estudo e Imigração para o Canadá” acontecerá nas quatro cidades e as vagas são limitadas, sendo que elas costumam se esgotar rapidamente (faça já sua inscrição clicando aqui). Ela tem um custo de R$150 por pessoa, com duração de 3h e interação do público com os palestrantes. Já as palestras com as instituições de ensino ficam no valor de R$20 por inscrição, enquanto o workshop com as escolas e colleges fica por R$10. Para todos os eventos existe uma limitação de número de participantes e a necessidade de cadastro prévio. Acesse www.immi-canada.com/evento-estudo-imigracao-immie3ra/ e garanta já o seu convite para a palestra dos profissionais e escolas ou sua entrada na feira.

estudo no Canada

Programação

 

Local: Av. Angélica 2447, mezanino.

Datas: 01 e 02 de setembro.

Eventos: palestra com Juliana Miguez e Francisco Zarro, feira com escolas de idiomas e colleges canadenses e seminário com as instituições.

Palestra com Juliana Miguez e Francisco Zarro: dia 01 de setembro, das 18h às 21h.

Feira das escolas: dia 02 de setembro, das 14h às 19h.

Palestra exclusiva com colleges: dia 01 de setembro, das 10h30 às 16h.

 

Local: Arena Copacabana Hotel – Avenida Atlântica, 2064, Copacabana.

Datas: entre 04 e 05 de setembro.

Eventos: palestra com Juliana Miguez e Francisco Zarro, feira com escolas de idiomas e colleges canadenses e seminário com as instituições.

Palestra com Juliana Miguez e Francisco Zarro: dia 05 de setembro, das 19h às 22h.

Feira das escolas: dia 05 de setembro, das 16h às 21h.

Palestra exclusiva com colleges: dia 04 de setembro, das 17h às 22h.

 

Local: SERHS Natal Grand Hotel Via Costeira – Senador Dinarte Mariz, 6046, Parque das Dunas.

Data: 10 de setembro.

Eventos: palestra com Juliana Miguez e Francisco Zarro e seminário com as instituições.

Palestra com Juliana Miguez e Francisco Zarro: dia 10 de setembro, das 17h às 22h.

Palestra exclusiva com colleges: dia 10 de setembro, das 17h às 22h (mesmo evento com custo único para esta localidade).

 

Local: Oasis Atlântico Fortaleza.

Datas: 15 de setembro.

Eventos: palestra com Juliana Miguez e Francisco Zarro e seminário com instituição.

Palestra com Juliana Miguez e Francisco Zarro: dia 15 de setembro, das 14h às 18h.

Palestra exclusiva com college: dia 15 de setembro, das 14h às 18h (mesmo evento com custo único para esta localidade).

Mais informações, inscrições, horários e detalhes: www.immi-canada.com/evento-estudo-imigracao-immie3ra/.

Fabíola Cottet

Neste mês o Immigration Refugees and Citizienship Canada (IRCC) divulgou um relatório com os números fechados da imigração do ano passado, contabilizando todos os imigrantes do Canadá. O balanço mostrou, entre outros dados, que 26.826 estudantes ou ex-estudantes canadenses, receberam a Invitation to Apply (ITA) pelo programa de imigração federal Express Entry (EE).

O número é animador e mostra que fazer uma graduação ou pós-graduação em uma das Designated Learning Institutions cadastradas pelo governo canadense pode ser uma ótima maneira de conseguir imigrar posteriormente. O número, exposto pela pesquisa do IRCC, representa quase um terço do total de imigrantes que passaram a morar no Canadá no ano passado: 31%. Isto mostra a valorização do país com relação a experiência educacional dos estrangeiros dentro de seus territórios.

Recentemente fizemos um artigo divulgando diversos dados do relatório do IRCC. Para acessar, clique aqui.

O gráfico abaixo mostra a evolução do número de ITAs emitidas a estudantes, com experiência de estudo canadense, que concluíram ou estavam estudando quando foram chamados, desde que o sistema do Express Entry foi implantado, em 2015.

imigrantes do canada

Este número aumentou significativamente no ano passado devido às mudanças ocorridas em novembro de 2016 no sistema do EE. Na ocasião, o IRCC adicionou pontos extras no Comprehensive Ranking System (sistema de ranqueamento que, com base nos critérios do programa, determina a pontuaçãoo do candidato) que estabelece a colocação dos aplicantes no pool. A partir da mudança, os estudantes que concluíram um curso superior com duração entre um e dois anos podem adicionar 15 pontos e para aqueles que fizeram mestrado, doutorado ou formação de três anos ou mais acrescentam 30 pontos no score total.

Isto fez com que mais estudantes fossem chamados e também virou um atrativo para quem já pensava em ir estudar no país com pretensões futuras de imgrar. Basta olhar o gráfico: em 2015, 8.056 estudantes estrangeiros imigraram pelo programa. Em 2016 o número cresceu um pouco, passando para 11.992. Porém o grande pulo aconteceu mesmo no ano passado, representando um crescimento de mais de 100% comparado ao ano anterior, resultando em 26.826 convidados que tiveram histórico de estudos dentro dos territórios canadenses.

imigrantes do canada

Um grande crescimento também foi observado na categoria de imigração Canadian Experience Class, que também pode ser creditado, em partes, aos estudantes. A categoria de imigração permite que quem tenha concluído um curso no país encontrem um emprego em uma das profissões requisitadas pelo governo canadense, inseridas na National Occupational Classification (NOC), e depois de um ano de trabalho, ele pode se candidatar ao EE, acumulando ainda mais pontos.

Imigrando através dos estudos

Fazer um curso superior no Canadá ou um college, que é considerado uma espécie de técnico no país, pode ser a porta de entrada para a imigração. Porém existem algumas particularidades que os que estão pensando em escolher o caminho dos estudos para imigrar devem saber.

Antes de elencarmos alguns pontos importantes, ressaltamos que são mais de 50 maneiras diferentes de imigrar para o o solo canadense. Por isso, o mais indicado é a consulta e o auxílio de um profissional de imigração. A Immi Canada pode te ajudar com isso. Através da nossa consulta online o interessado e a família vão poder saber o melhor caminho, baseado nas características e perfil de cada um, sendo apontado também os pontos que precisam ser melhorados, caso haja algum. Além disso, nós também oferecemos a assessoria durante todo o processo. Para saber mais acesse www.immi-canada.com/consulta/ ou mande email para contact@immi-canada.com.

O primeiro passo, antes de tudo, caso o interessado opte por uma futura imigração através dos estudos, é escolher o College ou University que quer cursar. Ambas as instituições oferecem cursos superiores, a diferença básica é que os primeiros são mais voltados para o mercado de trabalho, com cursos que duram de um a dois anos e a university é mais voltada ao meio acadêmico, com programas de maior duração (existem exceções, mas a maioria dos programas obedece a esta máxima). Ele precisa aplicar para um programa em uma das instituições e ser aceito, recebendo a Letter of Acceptance (LOA) da universidade.

Se o passo seguinte for a aplicação para a imigração, a instituição tem de ser uma Designated Learning Institution (clique aqui para verificar quais são elas). Além de proporcionar que o aluno trabalhe meio período enquanto estuda, estas instituições, dependendo do curso escolhido e se o estudante atende aos critérios estabelecidos pelo governo canadense (veja quais são eles clicando aqui), permitem que, ao fim do programa, o formado aplique para o Post-Graduation Work Permit (PGWP), que nada mais é do que um visto de trabalho que permite ao antigo estudante trabalhar em período integral e pode durar de um a três anos, dependendo da extensão dos estudos.

Após a escolha, o candidato deve solicitar seu visto de estudante, colocando na aplicação os membros da sua família. Outra boa notícia é que o cônjuge do aluno recebe um Open Work Permit (OWP), que dá a possibilidade de poder trabalhar full time durante o período de estudo do marido ou esposa. Com isso, após concluído os estudos ou depois de um dos dois possuírem uma experiência de trabalho de um ano, as possibilidades de imigração e de um alto score no ranking do EE aumentam muito, possibilitando aos candidatos aplicarem para a imigração por meio de um dos programas federais ou provinciais.

*Saiba mais sobre imigrar pelos estudos clicando aqui e também acessando este link.

Fonte: www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship.html.

Fabíola Cottet 

Grupo 1
CONTATO
contact@immi-canada.com
VANCOUVER: +1 (604) 684-0530
TORONTO: +1 (647) 351-5800
Redes sociais
Caminho 139
cartmagnifier