Quem vai passar um tempo ou se mudar para o Canadá, invariavelmente se preocupa com um ponto sensível aos brasileiros: o frio. Além disso, sempre ouve comentários dos amigos, conhecidos e família como “nossa, mas faz muito frio lá!”, ou ainda “como se consegue viver naquelas temperaturas tão negativas?” e, para finalizar “eu não consigo nem imaginar passar por 15 graus negativos”. Calma, existe vida sim no inverno canadense e, pasmem, ela é muito boa.

Também recebemos por aqui diversas perguntas sobre cuidados necessários no inverno, compra de roupas adequadas e melhor época do ano para viajar para o Canadá. Pensando nisso, elaboramos este artigo para desmistificar o inverno no True North e dar algumas dicas de como passar bem os meses mais frios do ano. Mas fique tranquilo! A menos que você saia com roupas de banho ou absurdamente despreparado para o inverno, você não vai congelar ou ter maiores problemas, embora, é claro, tenha que tomar alguns cuidados.

*Saiba mais sobre como são as quatro estações do ano no Canadá clicando aqui.

Primeiramente, no que diz respeito ao melhor mês para fazer um passeio pelas terras do Hemisfério Norte, a resposta não é tão simples assim, depende muito do que o viajante pretende e gosta, ou quer ver ou fazer. Caso você queira fazer bonecos de neve, patinar em lagos congelados e curtir um “friozinho”, janeiro e fevereiro são os meses ideais. Porém se você quer experimentar os festivais mais bacanas, ficar até tarde na rua, visitar praias e aproveitar os pátios dos restaurantes, julho e agosto são os mais indicados. Não dispense a primavera e muito menos o outono, pois também são lindas e cheias de atrações e novidades para explorar.

inverno canadense

Caso você opte pelo inverno, a primeira dica é: esteja preparado e verifique previamente a temperatura média da região para a qual você pretende ir. O Canadá, embora tenha um inverno bem mais rigoroso que o Brasil em toda a sua extensão territorial, possui grandes variações de temperatura. Em Vancouver, por exemplo, a temperatura média do mês de janeiro varia entre 2 e 7 graus celsius. Já em Winnipeg, cidade localizada mais ao Norte do país, no mesmo período do ano, a média fica entre -12 e -20 graus. Confira abaixo as principais dicas para mais do que sobreviver ao inverno canadense, mas sim curtir a estação mais fria do ano!

Invista em roupas adequadas

Não compre esse tipo de roupa no Brasil. Além de bem mais caras o risco de elas não serem suficientes para o inverno do Canadá é grande. Caso você chegue ao país no pico do inverno, leve blusas e algumas térmicas para passar os primeiros dias, vestindo-se em camadas e, assim que possível e o mais breve que puder, adquira roupas adequadas: casaco impermeável para o frio da região onde vai visitar ou morar, meias grossas térmicas, blusas térmicas, botas para neve, calça para neve (caso necessite), segunda pele para colocar por baixo da calça e acessórios como luvas, toucas, protetores de ouvido, cachecóis, etc. Estas peças são bem mais em conta em terras canadenses e com certeza vão te proteger do frio.

Aqui vale ressaltar dois detalhes. O primeiro deles é verificar a temperatura que o casaco suporta, pois a qualidade e preço deles varia muito. Alguns, um pouco mais caros, são feitos para temperaturas de até -40 graus, porém estes são mais pesados e você não vai conseguir utilizá-los em Vancouver, por exemplo. Para a cidade uma peça com proteção de até -5 ou -10 graus é suficiente. A segunda dica é não pensar que botas para neve são desnecessárias. A neve, quando congela, vira o que se chama de black ice. Ele nada mais é do que uma camada de gelo nas calçadas e ruas. Sim, há manutenção constante e a neve e gelo são retirados das, além da colocação de sal ou areia para ajudar no derretimento. Porém, dependendo do volume e frequência, ela vai acumular, congelar e se tornar o black ice. Por isso é importante investir em uma bota de neve que seja antiderrapante, para evitar tombos e andar com segurança.

Não exagere

Algumas pessoas colocam muitas camadas de roupa quando a temperatura é de, por exemplo, -5 graus. Isto acaba não funcionando, pois todos os locais possuem aquecimento, inclusive pontos de ônibus em algumas cidades mais frias. Colocar diversas peças de roupa fará com que você fique com calor e, ao chegar em qualquer estabelecimento ou local, terá de tirar as diversas camadas, já que calefação funciona muito bem.

Claro que para as cidades mais frias e trajetos mais longos feitos a pé, é importante se proteger. Porém, por diversas vezes uma segunda pele térmica e o casaco apropriado já são suficientes (além dos acessórios para proteger as outras partes do corpo). Caso o viajante seja aventureiro e vá esquiar ou patinar em um dos lagos que congelam, é importante utilizar a vestimenta apropriada, pois a exposição ao frio será maior.

Exercite-se e aproveite!

No inverno se fica mais em casa, isto é um fato. Principalmente quando as temperaturas marcam graus abaixo de zero. Porém, o exercício físico traz uma série de benefícios a saúde, além de mais disposição e ânimo. Não precisa sair para correr com -10 graus, mas diversos prédios no país possuem academia e equipamentos para praticar exercícios em casa podem ser bem acessíveis.

No verão ocorrem os maiores eventos ao ar livre, feiras, festivais gastronômicos e programação cultural em todas as regiões. Isto é uma verdade. Isto não quer dizer que no inverno não tenha nada para fazer, muito pelo contrário! Fique atento à programação de sua cidade e aproveite muito as atividades. Aqui cabe um alerta: verifique sempre a previsão do tempo quando for fazer atividades ao ar livre. As prefeituras locais emitem alerta de frio extremo e, quando estes alertas estiverem ativos, o melhor é limitar as atividades ao ar livre e proteger-se com roupas adequadas.

A importância de hidratar a pele

O primeiro cuidado com relação à pele quando vivemos invernos bem frios é cobrir o máximo possível da pele que fica exposta ao sair às ruas. Fazendo isso já se evita problemas como windburn e frostbite. O primeiro nada mais é do que uma queimadura da pele ocasionada pelo vento gelado. Já o segundo é uma lesão causada pelo congelamento da pele e tecidos, sendo mais comum nos dedos dos pés, mãos, nariz, orelhas, queixo e bochechas. Ambos podem trazer incomodo e complicações à saúde.

O segundo cuidado com a pele, porém não menos importante, é não esquecer de utilizar um bom hidratante. A dica aqui é também comprar este produto no Canadá. Por não possuirmos um inverno frio e seco como o canadense os cremes não são tão eficientes. A tendência da pele é ficar bastante seca, mesmo para aqueles que têm ela oleosa. É aconselhável aplicar diariamente.

*Veja mais cuidados necessários no inverno clicando aqui.

Aquecimento e informações

Todos os estabelecimentos, prédios e casas, sem nenhuma exceção, possuem aquecimento. Existem alguns mais modernos e outros mais antigos. Alguns são centrais do prédio, quando outros possuem controle de temperatura individual. A recomendação governamental é de que no inverno o ideal é manter a temperatura dos aparelhos a 21 graus. Caso você alugue uma casa ou apartamento e tenha problemas com o sistema ou sinta frio, pode conversar com a administração ou landlord.

No caso de morar em uma casa, é sua responsabilidade retirar a neve acumulada em frente dela, no jardim. E isto realmente deve ser feito. A dica é não deixar uma grande quantidade e nem esperar que ela vire gelo. Caso o carteiro, um vizinho ou um prestador de serviço escorregue e se machuque em frente a sua casa devido à falta de limpeza da neve, com certeza você terá problemas. Em prédios a responsabilidade é da administradora e, em alguns casos, existe uma pequena taxa para que uma prestadora de serviços retire a neve acumulada quando for necessário.

*Consulte aqui o site oficial com mapa e todos os alertas meteorológicos em vigor, em tempo real, no Canadá.

Fabíola Cottet

Comentários Facebook
The following two tabs change content below.

Fabiola Cottet