O presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Donald Trump, vem impondo mais exigências, burocracias e complicações para trabalhadores qualificados e estudantes internacionais terem um visto aprovado para residência temporária no país. E quem está tendo vantagem com isso é o Canadá, que além de estar recebendo mais matrículas de estudantes e processos de trabalhadores estrangeiros, também está abrindo espaço para várias empresas de diversos segmentos se instalarem dentro das suas fronteiras.

*Veja algumas das notícias que saíram na mídia canadense e estadunidense a respeito do tema e das medidas do presidente Trump clicando aqui, também neste link, nesta matéria e neste artigo.

Todas as afirmações feitas acima são dados revelados por uma pesquisa da Global Envoy, feita este ano, com mais de 400 empresas de recursos humanos com sedes nos EUA. O estudo destaca, inclusive, a grande demanda de talentos e trabalhadores “tech workers” nas terras do Tio Sam. Para se ter uma ideia, o problema está tão grande por parte das companhias que gerou a formação de um grupo de grandes nomes como Amazon, Microsoft, Intel, Apple e Google. Estas empresas estão tentando, sem muito sucesso até o momento, fazer lobby junto ao Homeland Security.

Vários foram os meios de comunicação que publicaram matérias nos últimos dias falando a respeito do tema, entrevistando trabalhadores estrangeiros que moram nos EUA e estão indo para o Canadá. Inclusive, um candidato a um visto de trabalho em terras estadunidenses revelou ao Business Insider que ficou impressionado com o sistema de imigração canadense, comparando com o que ele experimentou no país vizinho.

As medidas tomadas pelo governo dos EUA estão favorecendo o Canadá. Segundo a análise da Global Envoy, 38% dos empregadores entrevistados estão se organizando para abrir uma filial em solo canadense, enquanto 21% deles já possuem pelo menos um escritório no país e pretendem expandir as operações.

eua

Os trabalhadores qualificados que têm uma oferta de emprego no Canadá possuem vantagens no processo da obtenção do visto permanente. O processo se torna rápido e praticamente garantido. Em 2018 foram 12 mil profissionais que entraram no país por meio desta categoria de visto e aplicação. Além disso, o Canadá se tornou um poderoso polo tecnológico. A cidade de Toronto, por exemplo, que é o principal destino de recém-chegados, só perde no quesito tecnologia para Seattle, San Francisco e Washington. E, mesmo ficando em quarto lugar, gerou mais vagas na área em 2018 do que as três cidades norte-americanas juntas.

Além da cidade na província de Ontario, Vancouver em British Columbia e Montreal, localizada em Quebec, também possuem nichos tecnológicos e empresas do ramo que contratam diversos profissionais.  Ottawa, capital do país,  merece destaque, ficando no topo do ranking das que mais geraram vagas de emprego na área no ano passado, a frente de todas as cidades canadenses e estadunidenses.

*Confira o artigo completo que fizemos a respeito da busca de profissionais no Canadá e o baixo índice de desemprego do país clicando aqui.

O relatório da Global Envoy também mostrou um fluxo de estudantes maior para as terras do True North. Além disso, o número de estudantes estrangeiros matriculados em instituições dos EUA teve queda, no ano passado e também em 2017. Enquanto no Canadá a alta de 2018 foi de quase 16,5% de alunos de outros países fazendo programas dentro de suas fronteiras.

O programa que está sendo tremendamente afetado pelas medidas do atual presidente é o de visto H-1B, que é um caminho que oferece residência permanente para trabalhadores altamente qualificados que possuem uma oferta de trabalho. Muitos destes especialistas trabalham para empresas tech, como Google, Apple e Microsoft. O número de solicitações deste tipo de visto, nos Estados Unidos, chega a centenas de milhares por ano, porém apenas 85 mil são concedidos anualmente. Somado ao fato, o presidente Trump vem estabelecendo medidas que complicaram e tornaram mais burocrático e custoso o processo, pois, segundo ele, a modalidade desfavorece trabalhadores norte-americanos e reduz os salários.

*Clique aqui e veja as melhores cidades canadenses para emprego no ramo de tecnologia.

Imigrando para o Canadá

Em contrapartida, os programas de imigração no Canadá estão a todo vapor. Quem se qualifica para o visto H-1B, nos EUA, provavelmente tem a qualificação necessária para o processo de imigração canadense que mais leva estrangeiros a viver no país: o Express Entry (EE). Ele usa um sistema de pontos que ranqueia os candidatos de acordo com profissão, experiência de trabalho, educação, proficiência no inglês ou francês, idade, dentre outros fatores.

eua

Além do EE, o país também possui uma série de Provincial Nominee Programs (PNP’s), que são procedimentos das províncias, que permitem que cada uma das regiões e territórios nomeiem um número determinado de imigrantes por ano para que vivam na localidade, de acordo com as necessidades econômicas de trabalho local. Tanto no programa federal como nos locais, em muitas das suas subcategorias, não é exigida uma oferta de trabalho de uma empresa canadense.

*Para saber mais sobre os PNP’s acesse este link, com uma matéria completa que fizemos a respeito do tema.

Por fim, outro caminho para imigrar é por meio dos estudos, que é escolhido por vários brasileiros. Concluir um programa de pós-graduação no país pode dar pontos no programa federal, aumentar as chances de conseguir uma boa oferta de trabalho e, ainda, imigrar por um dos processos das províncias que também levam em consideração o estudo.

Fonte: https://trends.envoyglobal.com/.

Fabíola Cottet

Comentários Facebook