A família está indo para o Canadá, país eleito pelo quarto ano consecutivo com a melhor qualidade de vida do mundo (clique aqui e saiba mais), com dois filhos e ouviu dizer que a educação é de qualidade e gratuita para todos, então vão matricular diretamente as crianças na escola e pronto, tudo resolvido. Aqui cabe um alerta: não é bem assim. O território tem sim um sistema de ensino público de altíssima qualidade, mas ele não é gratuito para todos: existem regras no que diz respeito aos imigrantes e também com relação a idade dos filhos. Além do mais, as províncias canadenses possuem algumas diretrizes próprias também neste setor, que são diferentes entre si.

Pensando nisso, fizemos este artigo, para explicar e dar dicas de como matricular seus filhos nas escolas do Canadá nas províncias mais procuradas: British Columbia e Ontario. Algumas das informações são gerais, porém iremos focar nestas duas regiões. Para começar, o Canadá está entre os 10 países do mundo com os melhores desempenhos no ranking do Programa para Avaliação Internacional de Alunos (Pisa, na sigla em inglês). O programa avalia, em 70 países do mundo, o rendimento dos alunos de 15 anos em matemática, interpretação de texto e ciências. Para se ter uma ideia, enquanto as terras do True North ficaram com a sexta colocação, o Brasil está em 63º, lembrando que 70 países são ranqueados.

Um dos motivos para a ótima colocação é o salário médio de um professor, que varia de acordo com cada província, mas gira em torno de CAD$ 6,5 mil ao mês, o que chega a ser cerca de R$ 20 mil reais. Como se isso não bastasse, os educadores de escolas públicas são submetidos a cursos de reciclagem periódica e instruídos a promover atividades de inclusão na sala de aula, com o objetivo de estimular o senso crítico. Mesmo com cerca de um terço de todos os estudantes canadenses não tendo nascido no país, eles conseguem se manter no mesmo nível dos locais no exame do Pisa.

*Acesse este link e confira informações a respeito da adaptação dos filhos na escola canadense.

Antes de falarmos especificamente das províncias, é importante lembrar que imigrar ou passar um período de tempo em outro país, com a família, requer o dobro de planejamento do que ir sozinho. Por isso é essencial pesquisar o máximo possível, avaliar as possibilidades, estudar separadamente cada região e suas particularidades. Em algumas províncias se tem direito a saúde pública, quando se vai estudar e trabalhar por meio período, em outras existe a exigência de um emprego full-time, dentre muitos outros aspectos a serem avaliados.

Ontario

Na província de Ontario, os canadenses, residentes permanentes e filhos de estudantes internacionais podem se matricular nas escolas públicas entre quatro e 18 anos, desde que sejam cumpridos alguns requisitos (no caso de residentes permanentes e canadenses estas regras não se aplicam em sua totalidade):

  • Um dos pais precisa estar matriculado em uma instituição pública de ensino superior canadense, em um curso full-time e que resultem em, no mínimo, um diploma (os cursos que fornecem certificados não são válidos);
  • Se o responsável estiver cursando um college ou university particular, o programa de estudos também deve ser full-time e de, pelo menos, degree (bachelor, por exemplo);
  • Caso nenhum dos pais tenha study-permit, um deles precisa possuir uma work permit e um emprego full-time;
  • Para programas de certificado, o cônjuge do estudante precisa ter uma work permit válida e emprego full-time.

*Para saber mais sobre como imigrar para terras canadenses, clique aqui e veja mais de 50 maneiras diferentes.

filhos

Na província, assim como em todo o Canadá, os pais não podem escolher a escola dos filhos. Eles são direcionados pelo governo para alguma das instituições existentes. Isto geralmente ocorre por proximidade de onde o aluno vive. Por isso, a primeira coisa que os pais precisam fazer é decidir onde morar e entrar em contato com o School Board da cidade (clique aqui para acessar o órgão de Toronto). A documentação segue um padrão, porém é importante frisar que a região pode pedir mais ou menos documentos, sendo necessário contatar cada school board para saber exatamente o que será exigido. Veja a lista básica de documentos:

  • Study Permit e, ou Work Permit dos pais;
  • Passaporte dos pais e dos alunos;
  • Certidões de nascimento e histórico escolar anterior dos filhos, juntamente com a tradução juramentada de ambos;
  • Comprovante de residência;
  • Carteira de vacinação.

*Veja os mitos e verdades sobre a vida no Canadá clicando aqui.

British Columbia

As regras de British Columbia (BC) não se diferenciam muito das aplicadas em Ontario, porém na província os estudantes podem ser matriculados nas escolas públicas entre os cinco e 18 anos, um ano depois do que em Ontario. As exigências são:

  • Um dos pais deve estar matriculado em uma instituição pública de ensino superior canadense, em um curso full-time e que resultem em, no mínimo, um diploma;
  • Se o responsável estiver cursando um college ou university particular, o programa de estudos também deve ser full-time e de, pelo menos, degree (bachelor ou master, por exemplo);
  • Caso nenhum dos pais tenha study-permit, um deles precisa possuir uma work permit e um emprego full-time;
  • Para programas de certificado, o cônjuge do estudante precisa ter uma work permit válida e emprego full-time.

filhos

Da mesma maneira que em Ontario, a escola é selecionada pela proximidade no School Board da cidade onde a família estiver vivendo (visite o site do órgão em Vancouver neste link). Na província também existe variação de documentos solicitados de acordo com a cidade, porém os básicos são:

  1. Study Permit e, ou Work Permit dos pais;
  2. Passaporte dos pais e dos alunos;
  3. Certidões de nascimento e histórico escolar anterior dos filhos, juntamente com a tradução juramentada de ambos;
  4. Comprovante de residência;
  5. Em alguns casos o Social Insurance Number (SIN) pode ser solicitado;
  6. Carteira de vacinação.

O Canadá possui um ranking com a pontuação das instituições públicas de ensino do território, que pode ser acessado aqui. Além disso, é importante lembrar que o ano letivo no Hemisfério Norte é diferente. Ele começa em setembro e vai até junho, com as férias de verão nos meses de julho e agosto. Ademais, existe um recesso de cerca de três semanas em dezembro, para as festividades de final de ano e, por fim, um intervalo de uma semana em março, chamado de Spring Break.

*Caso você tenha filhos em idade inferior às mínimas para matrícula, terá que optar pelo Day Care, que é pago e pode ter subsídio do governo, em algumas situações. Confira os artigos completos que escrevemos a respeito do tema clicando aqui e também neste link.

Fontes: https://www.ontario.ca/page/education-and-training;

https://www2.gov.bc.ca/gov/content/education-training.

Fabíola Cottet

Comentários Facebook