Pronto, já me inscrevi no college no Canadá, recebi a LOA, organizei todos os meus documentos, fiz a consulta com um agente de imigração especialista no assunto e, finalmente, enviei os documentos para o visto. Então agora nada pode dar errado, não é mesmo? Pode sim. Na maioria dos casos, quando o aplicante faz a consulta com um especialista no assunto, a probabilidade de uma negativa de visto é muito baixa, mas ela existe para qualquer um que submeta os documentos para análise do departamento de imigração.

O tempo entre a aplicação para o visto e a resposta do governo é um período de ansiedade para os requerentes. Afinal de contas, o planejamento de seu futuro, por muitas vezes, depende da resposta. Quando o retorno chega, sempre esperamos que ele seja positivo mas, infelizmente, isso não acontece em todos os casos.

O departamento de imigração e vistos do Canadá não divulga um número de vistos negados anualmente,  mas eles ocorrem com bastante frequência pelos motivos que iremos listar abaixo. Para diminuir significativamente os riscos de ter uma resposta negativa, vale sempre a contratação de um profissional. Nós, da Immi Canadá, temos uma taxa de aprovação de 95% em todos os nossos processos, pois além de nos certificarmos sempre que todos os procedimentos estão completos, nossos consultores de imigração sempre fazem uma revisão criteriosa antes de enviar os documentos para a imigração.

Motivos do visto negado

visto negado

Não existe uma fórmula 100% correta e também não existe certeza, pois a documentação  é avaliada por um oficial de imigração. Ele irá verificar se todos os requisitos e regras foram atendidos e dar o parecer final. Além disso, os profissionais também podem cometer erros, além de interpretar as informações mandadas de acordo com o seu ponto de vista e experiência, portanto o mais importante é sempre ser o mais claro e objetivo possível. Veja abaixo as razões mais comuns pelas quais o visto pode ser negado.

  • Falta de documentos

O Immigration, Refugees and Citizenship Canada (IRCC) estipula uma lista de documentos e formulários necessários para cada tipo de visto e aplicação (veja a lista clicando aqui). Estas exigências devem ser cumpridas à risca. Caso alguma das comprovações da lista não se aplique, isso deve ser explicado ao oficial na carta de intenção, onde se apresenta os motivos de não ter o determinado documento, além de tentar anexar ao processo algum comprovante que substitua o solicitado.

  • Informações falsas ou incompletas

Várias aplicações retornam negadas pelo motivo de “misrepresentation”, que quer dizer informações deturpadas. Embora a palavra tenha um significado bastante forte em português, para o oficial de imigração ela pode significar apenas que os dados apresentados podem estar incompletos. Isso acontece por questões não respondidas, informações incompletas ou confusas, ou má interpretação das perguntas do formulário. Também pode significar o sentido ruim da palavra, que é apresentar documentos ou dados falsos. Neste caso a penalidade não é só a negativa, mas pode ser a proibição de solicitar qualquer tipo de visto para o Canadá por dois anos (se o caso for para Quebec, a penalidade pode chegar à cinco anos).

  • Histórico de viagens ou falta de vínculos com o país

Um dos requisitos analisados pelo oficial do Canadá é seu histórico de viagens internacionais e seu vínculo com o país de origem. Isso não significa que você terá seu visto negado caso nunca tenha viajado para fora do Brasil, vai depender se o restante da documentação apresentada convence o profissional que está avaliando. A comprovação de histórico são cópias das folhas do seu passaporte, atual e antigos, com vistos e carimbos para os locais que você viajou.

A comprovação de vínculos com o país de origem, muitas vezes, é subjetiva. Para evitar uma recusa por este motivo, é importante apresentar o maior número de documentos possíveis, tais como carta de empregador (caso seja aplicável), declaração de férias, registro de bem imóveis, registro de pessoa jurídica (se tiver uma empresa), dentre outros, além de uma carta de intenção bem embasada, explicando os reais motivos da viagem.

  • Falta de recursos financeiros

O governo canadense exige uma comprovação de valores. Significa que você precisa apresentar documentos que provem que você tem dinheiro para arcar com os custos das suas férias aqui ou estudar no país por seis meses ou mais. Caso o visto seja de turismo, extratos bancários podem ser suficientes, dependendo da situação.  Quando o objetivo é de estudo por prazo superior a seis meses é imprescindível comprovar os valores estipulados pelo governo para cada categoria de visto (você pode consultar os valores clicando aqui), enviando Imposto de Renda (IR), extratos bancários e de poupanças, extrato de aplicações (CDB, ações da bolsa de valores, fundo de investimento, tesouro direto, etc.), comprovante de venda de algum bem para pagar os custos da viagem (carros, por exemplo), holerites, dentre outros.

Quando o aplicante não pode arcar com todos estes custos, um familiar pode ser seu patrocinador, escrevendo uma carta assinada e enviando todos os documentos que comprovem que ele possui fundos, conforme mencionado. Os valores necessários são estipulados pelo governo canadense e não estão abertos à nenhum tipo de negociação.

  • Histórico criminal

Para garantir que o visitante ou imigrante não ofereça nenhum tipo de risco à sociedade canadense, são exigidos antecedentes criminais (ou são verificados pelo próprio órgão, dependendo do caso) de todos os países em que ele tenha residido durante seis meses ou mais depois de ter completado 18 anos. Caso o requerente tenha cometido algum crime, é necessário consultar um consultor de imigração para verificar a aplicabilidade do visto ou não.

  • Saúde

Quem requer visto para estudo por mais de seis meses ou a residência permanente, tem de fazer exames médicos com um especialista reconhecido pela Citizenship and Immigration Canada (CIC). Os exames incluem sangue, urina e toxicológico, além de uma entrevista com o médico. O governo tem o direito de recusar o requerente caso o mesmo tenha alguma doença que seja considerada de tratamento complicado para o sistema de saúde canadense, como diabetes, hepatite A ou HIV. Caso o aplicante tenha algumas destas complicações, a recusa pode ser revertida de algumas maneiras e em alguns casos, para isso é necessária a consulta com um consultor (clique aqui para agendar a sua).

  • Erros do órgão de imigração

Na maioria dos casos, a imigração analisa os processos de maneira correta e objetiva, com bastante consistência e responsabilidade. Porém, eles também podem cometer erros, como interpretar uma lei de maneira incorreta e recusar a aplicação por motivos escusos.

  • Requisitos

O país oferece cerca de 50 programas de imigração, mas cada um deles é único e exige que o candidato se enquadre em uma série de requisitos. Cada aplicante, dependendo de fatores como idade, educação, formação, experiência profissional, patrimônio e objetivos, pode ou não ser elegível para um ou vários dos programas oferecidos.

Uma pesquisa de alguém sem experiência ou um olhar raso nos programas e nos critérios pode levar a crença de que o candidato é elegível e, no final das contas, ele não ter sua aplicação aceita. Esta situação pode ser evitada caso o processo seja feito com um consultor de imigração, ou ainda, revisado por um. A Immi Canadá oferece acompanhamento e revisão de processo basta acessar: https://www.immi-canada.com/loja-virtual/.

Posso reaplicar?

Quando a resposta é negativa por qualquer motivo que não seja a falsificação de documentos, o aplicante não tem um prazo estipulado para aplicar novamente, podendo fazer isso logo em seguida que corrigir as informações ou melhorar a documentação.

É importante ressaltar que não existem garantias, por parte de nenhuma agência ou consultor de imigração, de que o visto será aprovado, pois a resposta final sempre depende do oficial credenciado pelo governo canadense. Para auxiliar no processo, o candidato pode solicitar o ATIP (Acess to Information Act), que é um documento detalhado, com todas as anotações que o oficial de imigração fez. O pedido tem de ser feito por um cidadão canadense ou residente permanente. No caso você pode optar por consultar um dos nossos consultores para realizar o trâmite e ter uma análise da negativa do seu visto clicando aqui.

Fontes: http://www.cic.gc.ca/english/department/

http://www.cic.gc.ca/english/department/atip/requests-atip.asp

Fabíola Cottet

Comentários Facebook
The following two tabs change content below.