Grupo 1
Grupo 1
Mudando para o Canadá: o que posso trazer na mala?

Mudando para o Canadá: o que posso trazer na mala?

10 de Abril de 2017

Após todo os procedimentos de visto, documentos e permissões, sejam elas de trabalho ou estudo, chega a hora de uma das etapas mais prazerosas para os viajantes antes de vir para o Canadá: fazer as malas. Porém, este processo pode se tornar um pesadelo caso haja desconhecimento das leis de controle da fronteira do país.

Além de conhecer as normas do que é permitido ou não trazer na bagagem, é importante lembrar que culturas mudam e necessidades pessoais são diferentes. Não venha ao Canadá esperando encontrar caipirinha, pastel, feijoada, cachaça, pão de queijo, dentre outras comidas típicas brasileiras, em qualquer esquina ou com facilidade. Isso não vai acontecer.

Uma boa dica aos que chegam é, ao invés de procurar pelas coisas que temos no Brasil, experimentar a cultura local. As principais cidades do Canadá são bastante multiculturais e possuem pessoas de todos os lugares do mundo, então além das comidas típicas canadenses (clique aqui e confira quais são as 20 principais delícias do país), é comum encontrar restaurantes de todos os lugares do mundo, museus, igrejas, diferentes modalidades esportivas para praticar e assistir (confira aqui os esportes praticados), locais inusitados, praças, parques e diversas outras atrações.

Quem imigra geralmente pratica o desapego, pois cada um só pode levar consigo, sem pagar excesso de bagagem, duas malas de 32 quilos cada uma. A ideia é levar o que conseguir, pois no início da nova vida no país economia e planejamento financeiro devem ser palavras chaves. Porém, se pagar excesso de bagagem não for uma opção, as malas acabam ficando restritas a roupas, calçados e alguns poucos pertences pessoais como livros preferidos e pequenos acessórios de cozinha e beleza.

Mas sempre algumas dúvidas permanecem na hora de fazer as malas: posso levar café brasileiro? E leite condensado, pode? Eu queria tanto colocar uma pamonha na minha mala... Pois é, não estranhem. Cada um tem gostos e necessidades diferentes. Abaixo preparamos um guia do que é permitido colocar na mala e o que deverá ficar de fora na hora de viajar.

Mala

Bebidas alcóolicas

Pode trazer, mas com limite. Para o vinho a regra é de até 1,5 litro, ou seja, duas garrafas de 750 ml. No caso de cerveja, até 24 latas de 355 ml cada. Caso a cachaça para a caipirinha seja um item indispensável, uma garrafa pode estar na mala sem que você tenha que se explicar ou pagar multa, valendo também a quantia de uma garrafa para qualquer outra bebida que não seja vinho ou cerveja, de até 1,2 litro.

A quantidade permitida não é grande, porém os apreciadores de bebidas alcóolicas podem ficar tranquilos. Em todo o país existem redes exclusivas que vendem os líquidos: LCBO, Liquor Mart, BC Liquor Store, Wine Market, Wine Canada, Beer Store, dentre outras. O nome da rede varia de acordo com a província. É importante lembrar que a forma de consumo e venda das bebidas no Canadá é bem diferente do que acontece no Brasil.

Caso a ideia seja fazer um encontro na praia e levar uma cerveja, ou um piquenique no parque em um dia quente com um espumante, esqueça. No país não é permitido beber na rua, em praias, parques ou em qualquer local público. Para circular com as latas ou garrafas na rua ou no transporte coletivo, elas devem estar fechadas e em embalagens que não mostrem o conteúdo da sacola.

No Canadá, com exceção da província de Quebec, não é possível comprar os drinks no posto de gasolina, no mercado ou até mesmo em panificadoras. Só é permitido a comercialização dos produtos em lojas especializadas, que são licenciadas e regulamentadas por cada província. Além disso, cada localidade também define a idade mínima para poder comprar e consumir os produtos com álcool, podendo variar entre 18 e 21 anos. É obrigatório portar um documento com foto nestas ocasiões. O consumidor pode aparentar bem mais que a idade mínima, mas é comum os lugares solicitarem um documento para comprovar.

Além disso, os drinks só podem ser comercializados em bares e restaurantes até as 2h da manhã. Em eventos esportivos ou shows, a venda ocorre normalmente, porém ela tem um horário para terminar, geralmente cerca de 30 minutos antes do final do evento e a quantidade de bebida que cada pessoa pode comprar por aquisição é limitada.

Cigarros, charutos e tabaco

Um aviso aos fumantes: pare de fumar antes de vir morar no Canadá, ou pelo menos tente com bastante afinco. Comparado com o Brasil, o preço de um maço, com 20 cigarros, custa cerca de quatro vezes mais, levando em conta a variação cambial. Se não converter de dólar para real, o preço do pacote é o dobro. Uma carteira de cigarro aqui varia de 10 à 20 dólares, dependendo da marca e tipo.

Aos fumantes, o limite de cigarros para trazer é de 200 unidades, ou seja, um pacote com 10 carteiras. Para os charutos são 50 o máximo. Tabaco também é permitido, com o limite de 200 gramas.

A idade mínima para compra do produto também varia de acordo com a província. As leis são um pouco mais rígidas do que no Brasil, cigarros em parques e locais públicos abertos são proibidos, geralmente ficando restritos a uma pequena área. Pode-se fumar na rua, desde que se mantenha uma distância mínima, geralmente de cerca de três metros, de janelas e portas de prédios ou residências.

Laticínios

Nem pensar. Qualquer derivado de leite é proibido de ser colocado na mala. Diversas pessoas já trouxeram para o Canadá leite condensado, creme de leite e queijo e nada aconteceu na fronteira, porém, é estritamente proibido. Caso o oficial de controle peça para fiscalizar a bagagem e encontrar os produtos, o viajante ficará sem os mesmos e corre o risco de pagar uma multa de cerca de $800 CAD (dólares canadenses) caso não tenha declarado.

A regra vale para leite condensado, creme de leite, requeijão, catupiry, queijo, doce de leite, etc. Muitos brasileiros consideram estes produtos melhores no Brasil, no caso do leite condensado e creme de leite, ou inexistentes no Canadá, como o requeijão. Portanto a incidência de pessoas que tentam viajar com essas delícias é frequente.

Só existe uma exceção para laticínios: caso se comprove por meio de receita médica em inglês que a criança que viaja, ou o adulto, precisa de determinado tipo de leite que não existe no país ou uma fórmula medicinal a base do mesmo.

Frutas e vegetais

É permitido, mas com restrições. Para frutas e ervas secas, o limite máximo é de até 250 quilos por pessoa ou 15 pacotes. Já os enlatados ou congelados são limitados a 15 latas por pessoa para frutas ou até 20 quilos no caso dos vegetais. Para os produtos frescos as regras variam de acordo com a província e podem ser consultadas clicando aqui.

Pimentas, chás, cafés e condimentos

Entrada permitida em todo o país, para todas as localidades desde que os produtos estejam industrializados.

Peixes e frutos do mar

Sim, tem gosto para tudo. E sim, por mais incrível que pareça você pode trazer peixes para o Canadá, exceto por duas espécies: baiacu e caranguejo chinês. Claro que os peixes devem estar em containers adequados para transporte e existe um limite para cada espécie de frutos do mar, para saber mais acesse o link da Inspection Canada http://inspection.gc.ca/food/information-for-consumers/travellers/what-can-i-bring-into-canada-/eng/1389648337546/1389648516990.

Carnes e derivados

Malas

Proibidos de todos os jeitos e maneiras, mesmo que sejam embrulhados à vácuo, industrializados, ou embutidos. Então a picanha, a carne seca, orelha de porco e calabresa para feijoada, a linguiça com provolone, a alcatra e o cupim terão que ficar no Brasil.

Padaria e confeitaria

É permitida a entrada de bolos assados, muffins, pães, croissants, bolinhos, cookies, biscoitos e demais guloseimas assadas, limitadas a 20 quilos por viajante.

Folhas, flores, areia e plantas

Aí a regulamentação canadense diz que depende da espécie, do tipo e do que se pretende com as espécies por aqui. Para informações a respeito acesse o link.

Remédios

Caixas de medicamentos são permitidas na bagagem despachada desde que tenham receita médica traduzida. É indicado que, caso a pessoa precise de um medicamento de uso contínuo e venha estudar por dois anos no Canadá, por exemplo, ela vai precisar trazer várias caixas do remédio, caso o mesmo não seja encontrado aqui ou não seja fácil de adquirir. Nesse caso a receita deve explicar o motivo de levar a quantidade de caixas.

Eletrônicos

São permitidos mas com moderação. Caso você venha sozinho e traga três celulares, você pode ser questionado a respeito na imigração. A mesma regra se aplica a tablets, laptops e computadores.

É importante lembrar que tudo o que você trouxer deve ser declarado no formulário que entregam dentro do avião para cada passageiro. Mesmo que você escute relatos de pessoas que não declararam o leite condensado ou a cachaça e passaram sem problemas na imigração, isso não acontece em todos os casos. Se o oficial de imigração pedir para inspecionar a sua mala e encontrar algum item que deveria ser declarado e não foi, o passageiro corre o risco de ficar sem o produto e levar uma multa de cerca de $800 CAD.

Fontes:

http://www.ccsa.ca

http://www.cbsa-asfc.gc.ca

Fabíola Cottet

Comentários Facebook
Categorias
Posts mais acessados
Siga-nos!
120 mil
likes
+600
seguidores
53 mil
seguidores
13,9 mil
inscritos
+20 mil
cadastrados
Grupo 1
CONTATO
contact@immi-canada.com
VANCOUVER: +1 (604) 684-0530
TORONTO: +1 (647) 351-5800
Redes sociais
Caminho 139
cartmagnifiercrosslist