Morar em outro país demanda organização, força de vontade e muito, muito planejamento – sobretudo financeiro. É preciso estar preparado para os diversos gastos que virão, além de ter fundos para a comprovação de renda solicitada pelo governo canadense. 

É comum, quando resolvem que querem imigrar, as pessoas começarem a pesquisar o custo das passagens aéreas. Mas é importante lembrarmos que essa é apenas a ponta do iceberg no processo imigratório. Muitos gastos virão antes e muitos outros virão após a chegada ao True North. Por isso, é fundamental estar preparado para cada um deles, para que não hajam surpresas e para que o sonho não precise ser adiado devido à falta de fundos. 

Abaixo, detalhamos os principais gastos que devem estar no planejamento financeiro de quem deseja imigrar – lembrando que os valores vão sempre variar conforme o programa de imigração escolhido, a quantidade de membros da família, a província escolhida no Canadá, o nível de inglês e/ou francês de quem está aplicando, grau de escolaridade, entre outros fatores. 

*Está pensando em imigrar? Então confira nosso artigo sobre os primeiros passos para quem quer viver no Canadá: https://www.immi-canada.com/planejamento-canada-por-onde-comecar/.

1 – Inglês ou francês

Para imigrar é preciso comprovar proficiência em qualquer uma das línguas oficiais do país: inglês ou francês. Não é necessário saber falar as duas, mas é fundamental ter fluência em pelo menos uma delas. Se você está no Brasil, terá que incluir no planejamento o IELTS (International English Language Testing System), o teste de inglês aceito pela imigração canadense. Outro teste aceito é o Celpip, porém ele não é aplicado no Brasil – apenas no Canadá e em alguns outros países. Se você optar pelo francês, o teste que terá que fazer é o TEF (Test d’Évaluation de Français). O IELTS tem um custo de R$ 840,00 e o TEF de R$ 1.140,00 – e não esqueça: se o cônjuge for imigrar junto, este custo será dobrado e precisa entrar no planejamento financeiro. 

ielts-english

Se você não fala inglês, precisará de planejamento e de fundos para realizar um bom curso de inglês antes de imigrar. Você também pode optar por estudar inglês no Canadá – e deverá estar preparado para os gastos com o estudo também. 

2 – Reconhecendo o diploma 

Boa parte dos programas de imigração do Canadá exige que o candidato comprove experiência educacional. Essa comprovação é feita através de um documento chamado Educational Credential Assessment (ECA). O aplicante deverá, portanto, reconhecer seus diplomas em uma instituição credenciada pelo governo canadense. A mais utilizada pelos brasileiros para a emissão do ECA Report é a Word Education Services (WES). 

O preço gira em torno de de CAD$ 270 para um diploma e, caso seja necessário o reconhecimento de mais de um, é cobrado mais CAD$ 100 por unidade. 

Saiba mais sobre o processo e sobre as outras instituições credenciadas: www.immi-canada.com/wes-canada-reconhecer-diploma/.

3 – Exames médicos 

O aplicante deverá se submeter a um exame médico – não só no caso do Express Entry, mas, também, para pedidos de visto de estudo por tempo superior a seis meses. O exame deve ser feito apenas por médico credenciado pelo governo canadense – é possível encontrar profissionais em outros países, inclusive em diversas cidades brasileiras (acesse a lista aqui). Além da consulta médica, o candidato deve fazer os seguintes exames: raio-X do tórax, HIV, sífilis e exame de urina. 

planejamento-financeiro

É importante lembrar que, normalmente, os médicos credenciados não fazem os procedimentos pelo convênio de saúde e os valores variam conforme cada profissional. Por isso, é necessário estar preparado para incluir mais estes gastos no planejamento financeiro. 

4 – Biometria 

É obrigatório – desde o dia 31 de dezembro de 2018 – aos brasileiros coletar dados biométricos para serem aprovados no processo de visto canadense. A coleta só não é obrigatória para quem já está no país ou possui eTA. A taxa da biometria é de CAD$ 85 por pessoa, limitada a CAD$ 170 por família. 

No Brasil, a biometria é feita através dos Centros de Solicitação de Vistos (cVAC), localizados apenas em algumas cidades brasileiras. Você confere a lista das cidades aqui.

5 – Tradução juramentada 

Todo e qualquer documento enviado para o Canadá deve estar traduzido para o inglês. E não basta uma tradução simples, é preciso que a tradução seja juramentada. Ou seja, apenas um tradutor público pode fazer a tradução, garantindo que os documentos reflitam, em inglês, exatamente o que está escrito em português. Diplomas, históricos escolares, certidões de casamento e nascimento, cartas de recomendação, entre outros: tudo deve estar traduzido corretamente. Este é um custo que, muitas vezes, as pessoas esquecem e que pesa no orçamento. Como os valores da tradução são definidos pelas juntas comerciais de cada estado brasileiro, o custo pode variar bastante por região. Em São Paulo, por exemplo, o valor divulgado pela junta comercial é de R$ R$ 53,06 para textos  comuns (passaportes, certidões, etc.) e de R$ 74,28 para textos especiais (técnicos, diplomas escolares, certificados, etc.).  

No site da Receita Federal você confere a lista de juntas comerciais – cada uma delas disponibiliza sua própria tabela de valores. Confira neste link.

6 – Taxas 

Todo candidato deverá pagar duas taxas ao governo canadense. A primeira delas custa CAD$ 550 por pessoa e é paga para que os oficiais analisem os documentos. Uma vez aprovado, o aplicante terá que pagar a segunda taxa, no valor de CAD$ 490, que é referente à emissão do visto. Os valores são individuais, portanto, casais terão que pagar as duas taxas mais CAD$ 150 por filho dependente. Além disso, você terá que pagar também o envio do passaporte para receber o visto. Este valor varia conforme a região.

planejamento-financeiro

7 – Comprovação financeira e de vínculos

Ao decidir que quer ir morar no Canadá (ou em qualquer outro país), é muito comum o candidato se empolgar e pedir demissão do emprego, além de vender casa, carro e outros bens para realizar este sonho. No entanto, a maioria das pessoas esquece – ou desconhece – uma etapa importante do processo para aplicação ao visto canadense: comprovar vínculos com o Brasil.

Muitos vistos, como os de estudo, são temporários e eles têm data de início e data de término. Ou seja: mesmo que você esteja indo para estudar, planeje tentar um visto de trabalho após o estudo e não tenha a intenção de voltar ao Brasil, você precisa comprovar que tem vínculos com o país de origem. Sem isso você corre o risco de ter o visto negado. 

Outra questão importante é a comprovação financeira. Você não vai pagar este dinheiro ao governo canadense, mas é necessário que você comprove ter o valor suficiente para viver no Canadá durante o período de vigência do seu visto, para os casos de visto temporário, ou para começar uma nova vida e se estabelecer no Canadá até conseguir uma oferta de emprego, por exemplo, nos casos de residência permanente. 

De acordo com o site oficial da imigração canadense, hoje um casal precisa comprovar o valor de CAD$ 15.772, . Esta quantia aumenta conforme o número de membros da família. Para comprovação, o montante deve estar em conta bancária, aplicações, poupança, etc. E, para evitar fraudes, o aplicante deve ter este valor há, pelo menos, quatro meses. Caso a família tenha vendido algum bem para dispor da quantidade, é só anexar a cópia dos documentos que comprovem. 

Porém, a Immi Canada sempre recomenda que o valor seja maior que o recomendado e que, antes de viajar, a família pesquise os custos de aluguel, alimentação e transporte na cidade em que vai viver, pois os preços podem variar bastante de região para região e é importante estar pronto financeiramente até que a família consiga se estabilizar.

Saiba mais: http://www.immi-canada.com/blog/visto-de-estudoturista-comprovacao-de-vinculos/.

8 – Estudos

Se você pretende estudar no Canadá, precisa prever o pagamento dos seus estudos E um detalhe: o valor pago à instituição de ensino é à parte do valor necessário para a comprovação de recursos para viver no Canadá. Ou seja: você vai precisar comprovar os dois valores, o mínimo necessário para se manter durante o período de estudos mais o valor total do curso que você vai fazer. 

estudos-canada

9 – Consulta de imigração

Fazer uma consulta de imigração é um fator importante a ser considerado por quem deseja ir viver no Canadá. Diante dos diversos programas de imigração – cada qual com as suas particularidades, dos diversos documentos e trâmites necessários para a tão sonhada residência permanente, a consulta de imigração deixa de ser um gasto e passa a ser um importante investimento.

O consultor de imigração, além de fazer a análise completa do seu perfil e da sua família, tem condições de indicar o melhor programa e a melhor localidade canadense para receber você e seus familiares, considerando suas características pessoais e os seus objetivos. A consulta e o acompanhamento acabam gerando economia de tempo e de dinheiro, uma vez que a expertise do consultor ajuda a minimizar e muito a ocorrência de trâmites, pagamentos e riscos desnecessários. 

Quer imigrar? A Immi Canadá oferece consultoria e acompanhamento para todas as modalidades de imigração. Para mais informações acesse  https://www.immi-canada.com ou mande um email para contact@immi-canada.com. ou mande um email para contact@immi-canada.com.

Fontes:

http://www.institucional.jucesp.sp.gov.br/;

https://www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/immigrate-canada/express-entry.html;

https://www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/immigrate-canada.html.

Maria Augusta Brandt

Comentários Facebook