Neste exato momento, muitas pessoas estão procurando uma oportunidade de trabalho no Canadá. Algumas já estão no país, outras no Brasil, tem gente dos Estados Unidos e até mesmo na China. Hoje essa parte da América do Norte é destaque por seus dados positivos na economia, em importantes áreas como a Educação, Saúde e Segurança, além de um amplo sistema de imigração com foco em candidatos com qualificação e experiência profissional. Mas como conquistar o tão sonhado emprego no mercado canadense?

Há quem diga que a resposta desta pergunta acima vale “1 milhão”! O fato é que existem sim milhares de vagas em aberto em várias áreas, setores que precisam mais de mão de obra técnica, outros que querem inovação e criatividade, e há quem busque empreendedores. Enfim, são diversas demandas, diferenças entre as necessidades das províncias e territórios, regras específicas para se obter um “work permit”, ou permissão de trabalho, e tudo isso impacta quando ouvimos a frase: “Quero trabalhar na minha área profissional no Canadá…”.

Portanto, hoje o objetivo é transmitir algumas informações importantes para quem está de olho em uma oportunidade em terras canadenses, e que precisa entender um pouco mais a respeito dos desafios que existem. Vamos lá?

Cada pessoa tem uma vivência diferente

“O meu cunhado era supervisor em uma multinacional, foi morar em Toronto e está buscando uma vaga em restaurantes da cidade”.

“Antonio foi gerente de banco por uma década, veio para o Canadá e somente concorre à vagas que são exatamente da área dele”.

“Minha amiga está no Brasil e aplicou para uma oferta de trabalho como desenvolvedora de software em uma empresa de Vancouver”.

Essas histórias citadas acima são fictícias, mas representam três excelentes profissionais que estão trilhando caminhos diferentes. Nenhum deles é melhor ou pior, nenhum deles é o certo ou o errado, e todos estão buscando uma vaga no mercado de trabalho canadense. Decidir a melhor estratégia é o primeiro passo para o “projeto Canadá”! É preciso analisar cada caso, afinal de contas, fatores individuais (escolaridade, nível de proficiência do idioma, disponibilidade financeira) são fundamentais para o planejamento e as consequências que virão a partir dele.

Profissões regulamentadas

Médico, veterinário, dentista, psicólogo… essas e outras profissões são regulamentadas no Canadá. Isso significa que há a necessidade de se obter uma licença ou certificação específica para trabalhar, atendendo assim a legislação que pode ser diferente em cada província ou território. Por isso, quem busca uma recolocação nestas áreas, precisa estudar qual o caminho a se percorrer levando em conta a cidade de destino.

Todo esse processo pode envolver custos extras, investimento em mais qualificação, provas, período de estágio, entre outros fatores. Isso pode representar um novo recomeço, mesmo tratando-se de pessoas já com um vasto tempo de experiência em seu país de origem, mas são etapas obrigatórias para atuar legalmente.

Abraçando as oportunidades

Para viver nesta parte da América do Norte com uma permissão de trabalho, existem alguns caminhos, como acompanhando o cônjuge que faz uma pós-graduação em um College público, após o fim dos estudos com o PGWP (Post Graduation Work Permit) ou já como residente permanente. Enfim, com o “work permit” em mãos, a dica é correr atrás das oportunidades, certo?

É possível que essa chance venha dentro da área a qual você procura se tiver os requisitos da vaga, claro. Assim como em outros países, existem empresas que recrutam por consultorias especializadas, indicação de funcionários, sites de busca de emprego, mídias sociais… pesquisar e fazer contatos são fundamentais. Nota-se que a chamada “experiência canadense” prévia e a fluência em inglês ou francês, são pontos que podem determinar pela contratação (ou não), principalmente para cargos com maiores salários.

A estratégia de buscar por empregos chamados de “entry level” é bastante comum, o tempo de colocação geralmente é mais rápido e são cargos que exigem menos qualificação, com demanda em setores como comércio, hotelaria e construção civil. Trata-se de uma porta de entrada para o mercado de trabalho, pode render referências e bom histórico profissional no país, aprimorar a segunda língua, trazer novas experiências e ajudar a pagar as contas.

Tenha sempre um “resume” adequado para a vaga

Nunca é demais repetir que o “resume”, ou o seu currículo, exerce uma função importante na busca de oportunidades profissionais, deve estar adaptado para o mercado e o mais personalizado possível. Veja algumas dicas:

– Destaque as suas habilidades, os resultados positivos que conseguiu ao exercer determinada função e o quanto contribui principalmente nos trabalhos em equipe.   

– Se você aplicou para uma vaga de garçom, por exemplo, e tem muitos cursos e certificados na área de logística, não precisa dar ênfase nesses conhecimentos. Neste tipo de situação o empregador pode te considerar “overqualified”, ou seja, muito qualificado para a função e assim não te contratar.

– Você tem alguma experiência como voluntário? Por mais simples que seja, nunca deixe de incluir no seu histórico profissional, pois ela faz uma diferença positiva aos olhos do empresário canadense.

– E recomendamos os textos: Hora de fazer a “cover letter” e o “resume” (Parte 1) e Hora de fazer a “cover letter” e o “resume” (Parte 2).

Enfim…

Faça o dever de casa e pesquise bastante a respeito da sua área profissional no Canadá, esteja preparado para as exigências do mercado no seu local de destino, e tenha o coração sempre aberto para as oportunidades e experiências que surgirem. Cada pessoa tem o seu caminho e a sua história; se conhecer bem e fazer um bom planejamento são fundamentais para o sucesso.

E mais: nunca desista e boa sorte!

Comentários Facebook
The following two tabs change content below.

Monica

Muito prazer! Eis aqui uma jornalista que ama viajar, conhecer novas pessoas e compartilhar experiências: vivendo e aprendendo, sempre. A primeira conexão São Paulo - Toronto ocorreu em maio de 2014.