Não é nenhum segredo que Vancouver é uma das cidades mais caras do Canadá para se comprar uma casa ou um apartamento. Também pudera: a cidade é considerada perfeita por muitos moradores e turistas, já que seus invernos não são tão rigorosos, com temperaturas apenas um pouco abaixo de zero, sendo que neve mesmo só nas montanhas! Praias, montanhas, trilhas, o lugar ideal para os amantes da natureza, com vários pontos turísticos e de lazer a apenas poucos quilômetros de distância. Não é à toa que muitos canadenses e recém-chegados residentes permanentes desejem morar em Vancouver. A realidade do mercado imobiliário, no entanto, não é tão boa assim.

Antes de mais nada, o que é preciso saber sobre comprar uma casa no Canadá?

 

Mortgage e Asking Price: o que é?

Ao contrário do Brasil, em que os valores de venda de imóveis seguem um único preço, no Canadá existe o que eles chamam de “asking price”, ou seja, o preco inicial. Também ao contrário do Brasil, em que em certas ocasiões é possível negociar o valor de um imóvel diretamente com o vendedor para que fique um pouco mais em conta, no Canadá isso funciona ao contrário: o asking price é apenas o preço inicial do imóvel, ou seja, é dali para cima. Quanto mais pessoas interessadas houver, maior deverá ser a sua oferta acima do asking price para que você possa garantir a casa para você.

Você pode ler mais sobre isso seguindo este link para o site do governo do Canadá, onde você pode encontrar o passo a passo do que é preciso fazer antes de comprar uma casa no país.

Comprar uma casa, ainda mais em um outro país, não é uma tarefa simples. É por isso mesmo que você pode contar com a ajuda de real estate agents, que seriam os agentes imobiliários brasileiros. Eles trabalham com uma série de propriedades ao redor da cidade de interesse, e podem indicar para você quais são as casas ou apartamentos que podem ser as melhores escolhas para você.

Quanto a mortgage, o conceito não é muito amplamente utilizado no Brasil. Trata-se de uma hipoteca, mas no sentido de um empréstimo, ou loan, em inglês. O que é: Quando você compra uma casa ou apartamento no Canadá, geralmente é preciso fazer um pagamento inicial, chamado de down payment, que corresponde a uma porcentagem do valor total do imóvel. O restante é pago por mês, ou financiado, durante alguns anos. Porém, a diferença aqui é que esses pagamentos mensais não vão diretamente para a imobiliária ou para o vendedor do imóvel, mas sim para um banco, o mesmo banco que irá conceder a você o loan, ou empréstimo, para que você possa comprar a sua casa. A hipoteca, portanto, significa que a casa, em teoria, pertence ao banco: o banco “compra” a casa para você e você realiza pagamentos mensais para que, daqui a alguns anos, a casa passe a pertencer então a você. O conceito é um pouco diferente do que estamos acostumados, mas não é difícil entender a lógica dos canadenses.

Para conseguir um loan de um banco, é preciso que você possua um bom histórico de crédito, que será analisado desde o momento em que você chegou ao Canadá. O que os bancos buscam nesse momento é saber se você é uma pessoa que paga suas contas em dia, e não somente as contas do cartão de crédito. Os bancos também irão procurar saber a respeito do seu salário e das suas economias, afinal um empréstimo é um negócio que irá perdurar por bastante tempo, e é do interesse do banco saber se o candidato poderá arcar com a responsabilidade de efetuar os pagamentos mensais.

 

 

O mercado imobiliário em Vancouver

Em 29 de julho, o jornal Financial Post publicou uma matéria a respeito da implementação de uma nova taxa, em 2 de agosto, de 15% sobre a transferência de propriedades para investidores estrangeiros.

Antes de mais nada, vamos falar brevemente sobre os investidores estrangeiros de Vancouver: um artigo do site de notícias CBC News explica o drama: compradores estrangeiros já há algum tempo estão inundando o mercado imobiliário de Vancouver, comprando imóveis a preços bastante altos, fazendo com que os preços dos imóveis também subam para acompanhar o ritmo da demanda. Tudo isso faz com que os cidadãos comuns canadenses passem a não mais poder arcar com os preços dos imóveis na região de Vancouver, gerando um descontentamento geral por parte da população em relação aos compradores estrangeiros, que muitas vezes são investidores especulativos. Isso significa que nem sempre os compradores estrangeiros estão realmente em busca de comprar casas para si mesmos, mas sim como uma tentativa de obter ganhos com uma possível mudança no futuro do mercado imobiliário: para muitos dos compradores estrangeiros, o mercado imobiliário é apenas um investimento.

Em 2 de agosto, quando a nova taxa sobre os valores dos imóveis para os compradores estrangeiros entra em vigor, a ideia é “esfriar” um pouco o mercado imobiliário da região de Vancouver, numa tentativa de deixar os preços mais acessíveis também para os cidadãos e residentes permanentes.

No entanto, de acordo com o side de notícias CBC News, a nova taxa pode estar gerando confusão e pânico entre os moradores da província de British Columbia. Na prática, a taxa de 15% significa um adicional de $300.000 sobre um imóvel de 2 milhões de dólares canadenses, um valor que, surpreendentemente, não é considerado fora do normal para uma propriedade na região de Vancouver. Para os compradores estrangeiros que já assinaram seus contratos de compra e venda, existe uma corrida para que a venda seja concluída antes do prazo de 2 de agosto.

Existe o receio de que os residentes da província possam ser impactados com a taxa caso os compradores estrangeiros decidam cancelar seus contratos por causa da taxa adicional de 15% sobre o valor dos imóveis. A ideia por trás disso é que os compradores estrangeiros que já assinaram seus contratos possam desistir da compra ao se depararem com a nova taxa, o que, por sua vez, poderia causar um pesadelo para os compradores residentes na província.

 

 

Os preços dos imóveis pelo Canadá

A Immi foi um pouco além de Vancouver para pesquisar os preços de imóveis em algumas das cidades mais importantes do Canadá. Para fins de comparação, utilizamos um valor próximo a $500.000 dólares canadenses, e vamos agora ver o que seria possível comprar por esse valor (em termos de asking price, é claro), nas maiores cidades. Utilizando as ferramentas fornecidas pelo site Realtor.ca, vamos ver a comparação:

 

Vancouver: Por $508.000, é possível comprar um apartamento de 56 metros quadrados próximo ao centro da cidade, na avenida West Broadway. O apartamento possui 1 quarto, 1 banheiro, 1 den (um pequeno espaço geralmente utilizado como home office ou então como despensa).

 

Toronto: Por $500.000, é possível comprar próximo ao centro de Toronto uma townhouse de 2 andares, com 3 quartos, 2 banheiros, 2 sacadas e 1 vaga na garagem, em um condomínio fechado.

 

Calgary: Por $509.900 em Calgary, é possível comprar uma townhouse próxima ao centro da cidade, com 3 andares, 3 quartos, 4 banheiros e garagem, com 155 metros quadrados no total.

 

Winnipeg: Por $504.000 é possível comprar um apartamento de 113 metros quadrados a apenas alguns minutos do centro da cidade. 2 quartos, 2 banheiros e garagem.

 

 

Quer saber mais sobre programas de imigração para o Canadá?  Entre em contato conosco!

 

 

Comentários Facebook