Existem dezenas de maneiras e processos diferentes de tentar imigrar para o Canadá. Os federais são o Federal Skilled Workers, o Federal Skilled Trades, o Canadian Experience Class e o que engloba todos os processos: o Express Entry. Além destes, existem vários processos provinciais, os específicos para Quebec e outros não tão conhecidos, como o processo de imigração para profissionais autônomos, o Self-employed.

Elegibilidade

O Self-employed é um programa destinado a profissionais autônomos de algumas profissões específicas. Como os demais, ele também é bastante burocrático e detalhista. De maneira geral, o aplicante deve ter uma experiência relevante e possível de ser comprovada em atividades culturais ou esportivas, estando disposto a continuar exercendo a profissão no Canadá, ou ter experiência em gerenciamento de fazendas e querer fazer isso aqui.

Profissões como personal trainer podem se enquadrar na categoria para imigrar.

No que diz respeito às habilidades culturais e/ou esportivas, a experiência vai precisar ser provada ao país e o aplicante precisa ter, no mínimo, dois anos exercendo as atividades no período de cinco anos anteriores à data da aplicação. Para mais informações com relação a elegibilidade, basta consultar o site Canada Imigration and Citizienship (CIC) na área específica clicando aqui.

Aplicação

Da mesma maneira que o Express Entry, o profissional precisa atingir uma pontuação em um score específico para a categoria. A diferença é que no processo federal amplo, existe um ranking onde quem tem o score mais alto é convidado à aplicar. Já no Self-employed é só atingir a marca de 35 pontos, de um máximo de 100, para estar elegível para iniciar.

Os critérios que determinam a pontuação são cinco:

  • Educação

O score máximo dessa categoria chega aos 25 pontos, caso o aplicante seja Doutorado ou Ph.D na profissão. A pontuação diminui conforme o nível de ensino. Para verificar mais informações basta acessar: http://www.cic.gc.ca/english/immigrate/ self_employed/selection_factors/education.asp

  • Experiência

O tempo de trabalho pode chegar a contar 35 pontos para o processo caso o candidato tenha trabalhado na atividade autônoma cultural ou esportiva durante todo o período de cinco anos anteriores a data da sua aplicação. O score cai 5 pontos a cada ano a menos de experiência (Veja a sua pontuação para esta categoria clicando aqui).

  • Idade

Neste quesito, quem tem entre 21 e 49 anos tem os 10 pontos limites na questão idade. Abaixo dos 21 anos e acima dos 49, a pontuação cai conforme os anos vão diminuindo ou aumentando. http://www.cic.gc.ca/english/immigrate/self_employed/ selection_factors/age.asp.

  • Fluência em inglês e/ou francês

Para a língua, caso o trabalhador autônomo tenha proficiência em inglês e francês, ele atinge o limite de 24 pontos dados a categoria. O número varia de acordo com sua nota no teste de fluência em inglês ou francês (IELTS, CELPIP para inglês e TEF no caso da língua europeia). Caso o interessado possua um nível moderado de inglês somente, ele consegue apenas 8 pontos na categoria. Veja sua pontuação no link: http://www.cic.gc.ca/english/immigrate/self_employed/selection_ factors/language.asp.

  • Adaptabilidade

Esse tópico dá ao aplicante o máximo de seis pontos e depende da adaptabilidade e graduação do(a) esposo(a), se já estudou ou trabalhou no Canadá e se possui parentes vivendo legalmente no país (para acessar mais detalhes basta clicar aqui).

Documentos e provas

Como qualquer processo de imigração, o Self-employed envolve uma série de documentos e comprovantes que possam atestar as informações dadas pelo aplicante. Como a aplicação é para profissionais autônomos, as provas de trabalho exigem uma busca e organização maior por parte do interessado. É importantíssimo que toda a documentação esteja pronta para o envio pelo correio quando os formulários online forem preenchidos, um detalhe é que nesta categoria todos os documentos precisam estar traduzidos por um tradutor juramentado.

Os documentos necessários, neste caso, variam de profissional para profissional. Se você foi jornalista autônomo, por exemplo, ou qualquer profissional que trabalhou com a área cultural, e emitia algum tipo de recibo e/ou possuía algum alvará, ele pode valer como prova. Além disso, textos escritos, datados e assinados, peças publicitárias, filmes, enfim, qualquer material feito pelo candidato vale. No caso de o aplicante não ter recibo, uma boa maneira de provar são cartas da empresa ou pessoa para a qual prestou serviço ou de seus alunos, no caso de profissionais da área de educação física.

Além das provas profissionais, o candidato e acompanhante(s) precisam apresentar histórico criminal do país de origem e de todos os outros onde moraram por um tempo superior a seis meses, exames médicos e comprovação financeira. Caso o oficial de imigração tenha dúvidas referentes ao processo, ele entrará em contato ou pode até convidar o aplicante para uma entrevista.

É indicado também que o pretendente escreva uma carta de intenção, porém contando toda a trajetória profissional nos últimos cinco anos, citando as empresas por onde passou ou para as quais prestou serviços, os projetos que participou, os eventos esportivos que fez parte e quais eram as atividades desenvolvidas, o motivo de querer imigrar para o Canadá e o mais importante, usar argumentos para convencer o profissional que está analisando o processo de que suas atividades são necessárias e procuradas na cidade para a qual pretende-se ir.

Taxas e tempo para análise

O pagamento para o aplicante principal é de $1.050 CAD e mais $550,00 CAD para o esposo(a). Para filhos menores de 19 anos a taxa fica em $150,00 CAD por dependente. Essa taxa não é passível de reembolso caso a aplicação não seja aprovada, portanto e imprescindível a verificação detalhada e calma de todos os documentos e formulários para prevenir e evitar possíveis erros ou mal entendidos. Além disso, quando obtiver a aprovação, o futuro residente deve pagar um valor de $490,00 dólares canadenses, para que o cartão de Residente Permanente (PR) seja emitido. Esta segunda taxa é única e vale para todos da mesma aplicação, ou seja, caso os candidatos sejam um casal com um filho, a taxa não é por pessoa e sim por família.

No que diz respeito ao tempo de análise, ele é variável. Como o processo é longo e possui vários documentos a serem examinados, o mínimo é de seis meses, mas ele pode durar até 24 meses. É sempre importante se programar e consultar o site do governo no Canadá para acompanhar a aplicação: http://www.cic.gc.ca/english/information/times/index.asp.

Um processo de imigração como o Self-employed é bastante detalhado e precisa ser exato, por isso neste caso é imprescindível o auxílio de um agente de imigração. Para isso basta acessar a página da Immi Canadá e marcar a análise do seu perfil para saber se você é elegível para o processo e também mais informações sobre acompanhamento e possibilidades. Clique aqui para mais informações.

Fabíola Cottet

Comentários Facebook