Quando a escolha é o estudo fora, invariavelmente o Canadá, se não é o destino escolhido definitivamente pelo aluno, com certeza foi cogitado e entrou na lista dos prováveis países. E não é para menos. Ele já foi eleito diversas vezes um dos melhores destinos do mundo para estudantes internacionais, é o local com uma das melhores qualidades de vida do mundo e é famoso pela sua segurança, saúde, educação e também pelos seus programas de imigração e por ser multicultural.

O que acaba acontecendo é uma série de dúvidas com relação às regras para quem quer ir estudar uma graduação ou pós-graduação no Canadá e até um curso vocacional ou técnico. Quando se trata do aprendizado de línguas, as regras são mais claras. Em nenhuma hipótese o aluno, nem seu cônjuge, poderão trabalhar. Mesmo que o estudante esteja em um pathway ou a duração do seu programa de línguas seja maior que os seis meses. A única diferença é que, nesta última ocasião, o aplicante terá de solicitar um visto de estudos, ao contrário de quem vai fazer um curso de idiomas por até 180 dias, que pode ir somente com o eTA (clique aqui para saber quem pode solicitar somente a autorização eletrônica para viajar) ou um visto de turista.

Para esclarecer algumas regras básicas e gerais para obtenção do visto e permissão de estudos e as mais específicas para quem já possui o direito de estudar no país, está com as malas prontas, ou ainda já aterrissou em terras canadenses, resolvemos escrever este artigo. Abaixo você pode encontrar algumas das principais normas que devem ser seguidas pelos estudantes internacionais que escolheram o Canadá como destino. É importantíssimo prestar atenção e cumprir as determinações, principalmente para quem pretende aplicar para um dos vários processos de imigração, pois alguma atitude que descumpra as normatizações do país pode complicar o sonho de viver permanentemente em solo canadense.

*Para saber mais sobre como tirar o visto e permissão de estudos para o Canadá, clique aqui e também neste link. Além disso, nossa parceira 3RA Intercâmbio pode indicar o caminho e auxiliar durante todo o processo. Acesse 3raintercambio.com/ e saiba mais informações.

Visto e permissão

Como já dito, para qualquer curso de até 180 dias, não é necessário a solicitação de visto de estudos. O interessado pode ir com eTA ou visto de turismo (veja no site oficial do governo clicando aqui mais detalhes a respeito) e durante este período o estudante e nem seu acompanhante podem trabalhar. Já para quem quer fazer qualquer curso de mais de seis meses, o visto e a permissão de estudos são necessários. Para solicitar, primeiramente o aluno deve ter uma carta de aceitação da instituição de ensino escolhida.

As instituições possuem exigências diferentes, portanto esta é uma questão que deve ser vista com a university ou college (clique aqui para ver a diferença entre os tipos de escolas). Com a Letter of Acceptance (LOA) em mãos, está na hora de aplicar para o visto. O processo pode ser feito no site do governo e possui algumas particularidades e documentos que devem ser apresentados. Todo este processo pode ser conferido nos links postados acima.

É importante esclarecer que o visto de estudo é diferente da permissão. O visto é somente uma etiqueta no passaporte de determina o período que o aplicante pode permanecer no país, se o mesmo pode entrar e sair do território durante a vigência, data de expedição e vencimento e a finalidade da estadia. A permissão é o que o nome diz. Ela é dada no momento de entrada no Canadá, pelo oficial de imigração após a primeira passagem nos guichês do aeroporto, em uma segunda checagem. Este documento descrimina a instituição de ensino, período de estudos, em qual cidade o aluno está apto a estudar, se pode trabalhar enquanto estuda e outros detalhes que o oficial achar pertinente.

estudo

Trabalho e estudo

Para se matricular em um college ou university, o aluno internacional deve escolher entre uma das instituições de ensino entre as Designated Learning Institutions (para ver quais são elas, clique aqui). Porém, para poder trabalhar enquanto estuda o aplicante deve estar inscrito em um curso de carreira em um carreer college ou curso de desenvolvimento profissional em uma universidade. Além disso, o programa escolhido deve obedecer a alguns critérios estabelecidos pelo governo. Portanto é importantíssimo, se o estudante precisa e quer ter a experiência no mercado de trabalho, informar-se se a carreira escolhida na instituição permite o trabalho.

*Os cursos de longa duração, como bacharelado ou mestrado, também dão direito ao trabalho. Confira mais informações sobre eles clicando aqui.

Uma informação, nesta área, merece destaque: é comum e já virou um termo muito usado, dizer que o estudante pode trabalhar part-time. O correto não é o meio período, como na tradução literal, mas sim as 20h semanais determinadas pelo departamento de imigração do governo canadense. E é essencial que o futuro candidato a imigração se atente às horas, pois além de poder prejudicar o processo futuramente, quem tentar exercer um trabalho por mais que as 20 horas semanais, pode ter a permissão cancelada, ser expulso do programa e, consequentemente, do país.

estudo

Para buscar um trabalho no país, o candidato deve procurar a oportunidade. As agências de intercâmbio, instituições de ensino escolhidas e alguns centros de ajuda aos estrangeiros recém-chegados podem ajudar muito na busca, com listas de trabalhos, anúncios, workshops sobre como montar currículos no padrão do Canadá, se comportar em uma entrevista, entre outros eventos destinados aos interessados. Por isso, é importante procurar estes centros tanto na comunidade quanto na instituição de ensino.

Trabalho após o estudo

O famoso Post Graduation Work Permit (PGWP) é uma permissão de trabalho concedida aos alunos que finalizam um curso de, pelo menos, um ano de duração, em uma instituição de ensino superior aceita pelo governo (curso de línguas não contam). As escolas são, geralmente, as públicas que estão na lista das DLI. Porém, algumas particulares que oferecem diploma de bacharelado ou pós-graduação também são aceitas.

O PGWP tem duração máxima de três anos e nem sempre está disponível para todos os cursos de estudo que dão direito à permissão de trabalho. Um detalhe importante é que o visto é um direito do estudante e não do cônjuge. Em determinadas situações é possível que o marido ou esposa possa também dar entrada no pedido, mas via de regra o formado deve estar trabalhando em um emprego qualificado na National Occupational Classification (NOC).

*Para saber informações detalhadas sobre o PGWP acesse o artigo completo que escrevemos a respeito clicando aqui.

Fontes: https://www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/immigrate-canada/express-entry/eligibility/find-national-occupation-code.html;

https://www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/study-canada/study-permit.html.

Fabíola Cottet

Comentários Facebook
The following two tabs change content below.

Fabiola Cottet