Com um salário mínimo que varia entre CAD$10 e CAD$13, horários de trabalho que podem ser ajustados de acordo com os horários do college ou da faculdade, e com um horário de trabalho que, quando full time, geralmente começa às 9 da manhã e termina às 5 da tarde, o Canadá parece mesmo um paraíso para quem quer trabalhar e fazer a vida por aqui.

Existem algumas regras que devem ser respeitadas quando o assunto é trabalhar no Canadá. Quer saber quais são as possibilidades, as aberturas que o país oferece aos estrangeiros, e quer saber um pouco também sobre o mercado de trabalho? Então vamos lá!

 

O visto de trabalho 

No Canadá, quem quer trabalhar precisa obrigatoriamente de uma permissão de trabalho, ao menos, claro, que seja residente permanente ou cidadão. Um estudante de nível superior no Canadá hoje tem o direito de trabalhar 20 horas semanais durante o período das aulas e 40 horas semanais durante as ferias já descritas no calendário escolar.

É importante lembrar que o visto de turismo dá direito a estudar por até 24 semanas, porém não dá direito a trabalhar em hipótese alguma.

Para conseguir um visto ou permissão de trabalho, é preciso obedecer a alguns requisitos que são exigidos pela imigração canadense. Vamos ver quais são eles:

 

1) Trabalhar enquanto estuda

Quando você é um estudante internacional, matriculado em um college ou uma universidade para cursos profissionalizantes ou universitários (ou seja, não vale cursos de idiomas), você pode pedir um work permit, uma permissão de trabalho que estará vinculada ao seu visto de estudo. Esse work permit permite que o estudante trabalhe por até 20 horas na semana durante o período de aulas e full time nas ferias escolares (já determinadas no calendário), e é considerado um open work permit, ou seja, não apresenta restrições quanto ao empregador ou ao tipo de indústria em que o estudante possa trabalhar.

Quando o estudante traz consigo seu cônjuge, ele ou ela também tem direito à um open work permit, o que dará à ele a oportunidade de trabalhar full time, sem limitação de horas ( A carga horária normal é de, em média 40 horas semanais).

É importante obedecer as regras exigidas pela imigração. Se você tem permissão para trabalhar somente até 20 horas na semana, trabalhar mais do que isso pode trazer problemas no futuro, podendo ter até mesmo dificuldades em um futuro processo de imigração. 

 

2) Post Graduation Work Permit

Para quem acaba de se formar, desde que seu curso tenha tido no mínimo 8 meses de duração, existe a opção de aplicar para um PGWP, ou Post Graduation Work Permit. Mas cuidado: essa aplicação só pode ser feita uma vez na vida e em até 90 dias após a conclusão do curso, então é preciso tomar muito cuidado para não perder os prazos.

Além disso, nem todos os programas de estudo e/ou instituições de ensino darão ao estudante o direito ao PGWP. Com relação aos cursos, o aluno deverá receber um DEGREE ao final, e já com relação às instituições, as meses deverão ser públicas ou privadas que recebam subsídio do Governo Canadense. Curso Vocacionais, considerados como profissionalizantes, não darão este direito ao estudante.

Funciona assim: se você estudar por 8 meses, poderá conseguir um PGWP com duração de até 8 meses, para que você fique esse tempo extra trabalhando no Canadá após se formar. Porém, a duração do PGWP pode variar conforme a duração do curso que o estudante fez. Então, se o curso durar 2 anos ou mais, o PGWP pode ter de 2 a 3 anos de validade. Já se o curso durar 1 ano, o PGWP irá valer por somente 1 ano. Vale a pena planejar bastante.

Também é possível aproveitar 2 cursos seguidos para pedir um PGWP, mas tem uma regra: não pode ter nenhum espaço entre eles. Então é preciso verificar certinho as datas de início e solicitar a renovação do visto de estudos para poder se matricular no próximo curso e, dessa forma, utilizar o período total como base para aplicar para o PGWP no futuro.

O PGWP funciona como se fosse uma extensão do visto de trabalho para quem se forma, digamos assim. Se você tiver um cônjuge, ele ou ela continuará tendo direito ao open work permit uma vez que o Aplicante Principal tenha um contrato de trabalho firmado com alguma empresa e o mesmo seja apresentado durante a aplicação. Caso contrário o mesmo terá manter o seu status como Visitante ou iniciar um programa de estudo.

 

 

3) Labour Market Impact Assessment

O LMIA, ou Labour Market Impact Assessment, é um programa destinado a empregadores canadenses que desejam contratar trabalhadores estrangeiros. Assim, se você receber uma oferta de trabalho de uma empresa canadense, é muito provável que essa empresa precise realizar um LMIA para você.

Funciona da seguinte forma: basicamente, a empresa precisa provar para o governo canadense que não existem trabalhadores canadenses ou residentes permanentes que possam ocupar aquela vaga que está sendo destinada a você. Isso é feito através de vários passos, como postar a vaga em vários sites e jornais, entrevistar candidatos, guardar os currículos dos candidatos, explicar o porquê de os outros candidatos não terem sido selecionados, e tudo isso deve ser documentado por meio de cópias, planilhas e cartas timbradas da empresa, e enviado à imigração canadense. O objetivo final é mostrar que a vaga foi oferecida para trabalhadores que já estão no Canadá, mas mesmo assim não foi possível preenchê-la, e por esse motivo a empresa precisou procurar trabalhadores fora do país. Então o LMIA nada mais é do que uma permissão para que a empresa contrate trabalhadores estrangeiros.

Com o LMIA em mãos, você pode aplicar para um visto de trabalho para aquela empresa específica. Esse visto não será considerado um open work permit, pois você ficará limitado a trabalhar somente para aquela empresa.

 

4) Residente Permanente / Cidadão

Sendo você um Residente Permanente e/ou Cidadão Canadense, você não mais dependerá de um Permissão de Trabalho ou estará limitado à algum número de horas. Porém, para que seja possível chegar até esse status, será necessário se adequar o Sistema de Imigração Atual, o Express Entry, o qual engloba todos os Programas de Imigração Econômica atuais. Para imigrar para o Canadá, grande parte dos processos irá exigir que você demonstre por meio de documentação específica que você tem a educação e a experiência necessárias para ser um profissional que contribua com a economia do país.

 

O mercado de trabalho no Canadá

Assim como em todos os países, o mercado de trabalho no Canadá é regido por forças externas e pela economia global. Como resultado, algumas áreas apresentam mais demanda do que outras, e algumas áreas focam em trabalhadores internacionais devido à grande necessidade de mão de obra.

Muitas profissões, no entanto, irão exigir uma ótima fluência no inglês, além de experiência na área que possa ser comprovada através de referências. E algumas profissões também irão exigir certificações e licenças de atuação canadenses, como é o caso das profissões regulamentadas.

De acordo com uma pesquisa a respeito de vagas de trabalho disponível no site Job Bank Canada, vagas de trabalho relacionadas à hospitalidade e alimentação estão em alta, o que corresponde a trabalhos como retail salespersons (vendedores em lojas), food counter attendants (atendentes em restaurantes) e kitchen helpers (ajudantes de cozinha). Por esse motivo, e também porque essas ocupações geralmente não exigem um alto nível de treinamento ou muita experiência profissional, essas profissões são bastante populares entre adolescentes, jovens adultos e trabalhadores estrangeiros que estão estudando ou então buscando a obtenção de certificações e licenças para poderem se inserir em sua área no Canadá.

É importante lembrar que algumas profissões aqui no Canadá exigem requisitos diferentes dos que são exigidos no Brasil, como é o caso da psicologia, por exemplo. Aqui, é preciso possui um mestrado para trabalhar como counsellor, sendo que é somente com um PhD que o título de psicólogo pode ser utilizado.

Uma mudança temporária na carreira é comum no caso dos trabalhadores estrangeiros, e é importante levar isso em consideração como uma possibilidade real, pois é muito comum que trabalhadores estrangeiros cheguem no Canadá com a certeza de que irão imediatamente encontrar um emprego em suas áreas de formação, o que pode não necessariamente corresponder à realidade, principalmente quando não se tem experiência de trabalho canadense ou quando não é o caso de uma transferência através da empresa onde se trabalha, por exemplo.

No Canadá, profissões na área da saúde (quase todas elas exigindo certificações específicas e licenças de atuação, como a enfermagem) sempre estão em alta. Com uma população que está envelhecendo (um dos motivos para a necessidade de atrair trabalhadores estrangeiros), o Canadá também foca em profissões que tenham a ver com o cuidado de idosos, e aí entram os live-in caregivers, outra profissão que apresenta bastante demanda no país, e que também apresenta uma opção em termos de imigração.

Profissões relacionadas a tecnologia, como TI, também estão em alta por aqui. TI é inclusive uma das profissões de nível universitário em que não é preciso possuir nenhum tipo de certificação especificamente canadense (embora isso possa abrir portas também) ou licença para atuação. Comprovando um período satisfatório de experiência na área, candidatos de TI têm bastante chance de encontrarem um emprego rapidamente, embora, é preciso enfatizar, isso não seja uma regra.

Networking é uma ferramenta muito utilizada também pelos canadenses. Sabe aquele conceito do “Quem Indica”? Ter referências canadenses pode ser uma boa estratégia para se conseguir bons empregos. E isso pode ser feito através de participação em associações profissionais ou através de envolvimento com professores durante o college ou universidade, por exemplo.

 

Quer saber mais sobre trabalhar no Canadá? Entre em contato conosco!

 

Veja também:

Quero estudar e trabalhar no Canadá, como funciona?

 

 

Comentários Facebook